Evento no Câmpus São José socializa práticas de estágio nos cursos de licenciatura

4. dezembro 2014 | Escrito por | Categoria: Câmpus Araranguá, Câmpus Jaraguá do Sul-Centro, Câmpus São José, Eventos, Matérias

SONY DSCCompartilhar as experiências vivenciadas durante as práticas de estágio nos cursos de licenciatura do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) foi o principal objetivo do III Seminário de Estágio das Licenciaturas, realizado no dia 1º de dezembro, no Câmpus São José. O evento teve como tema “Tecendo saberes, fazeres e práticas” e contou com a presença de 100 pessoas.

Participaram do evento alunos, professores e equipe pedagógica dos cursos de licenciatura dos câmpus Araranguá e São José, o coordenador da licenciatura e uma professora do curso de licenciatura do Câmpus Jaraguá do Sul, representante da Gerência Regional de Educação da Grande Florianópolis, professores dos câmpus de estágio, além de representantes da Reitoria e do Câmpus Palhoça Bilíngue.

A reitora Maria Clara Kaschny Schneider esteve na abertura do evento, e lembrou da implantação dos cursos de licenciatura no IFSC, em 2008. “Foi um grande desafio na época. Era um sonho que hoje está realizado e consolidado com os cursos de Física e Química, áreas fundamentais para o desenvolvimento da ciência e da tecnologia”, disse.

Após a abertura do evento, os participantes acompanharam a palestra “A concepção freiriana de educação e a formação de professores”, com a professora Nilcéa Pelandré, da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Ela falou sobre o histórico de Paulo Freire e seu legado para a educação brasileira. “Ele criticou duramente o sistema de ensino da época, a educação bancária, em que o professor se achava o dono do saber e o aluno não tinha voz para expressar suas opiniões, pensamentos e sentimentos”, explicou.

Nilcéa defendeu a ideia de Paulo Freire de que a educação é dialógica. “O processo de ensino é solidário, tem que ser. O professor deve ensinar, mas também aprender com as experiências dos seus alunos”, acredita. Nilcéa falou também sobre o resgate da valorização profissional do professor, que vai desde as formas de tratamento até o preparo para as aulas. “Essa resgate passa por nós mesmos”, disse.

Sala de aula na prática

sem-estagio-licenciaturas2

Os formandos do curso de licenciatura em Química do Câmpus São José apresentaram sua experiência com estágio de regência, realizado com alunos do Ensino Médio da EEB Francisco Tolentino, localizada no Centro de São José. Os alunos falaram sobre a etapa de planejamento, em que eles conheceram a escola e escolheram a turma em que o estágio seria aplicado, no caso, o 1º ano. Depois, os formandos montaram um plano de aula, que consistia a elaboração e execução de um jogo.

Os formandos relataram que os maiores desafios foram lidar com situações que exigiram improviso e superar os problemas de linguagem. “Como contribuição para o curso, acredito que precisamos nos preparar para sermos mais professores e menos palestrantes. Falar com o aluno de Ensino Médio é uma barreira muito difícil de ser superada sozinho”, disse Clemilson Souza, um dos formandos.

Além da atividade prática de estágio em sala de aula, os formandos desenvolveram também um projeto de extensão e fizeram a coleta de dados para uma pesquisa. O projeto de extensão, intitulado “Química, tá ligado?” consistiu na visita de alunos do Ensino Médio ao laboratório de Química do Câmpus São José e também a realização de uma aula-show, em que os formandos fizeram demonstrações de experimentos químicos no auditório do câmpus.

sem-estagio-licenciaturas3Durante o evento, os participantes conferiram ainda a palestra “O que há além do portão? Diálogos e dialogias nas práticas de estágio”, com Caroline Kern, além da socialização das experiências de estágio dos alunos das 5ª, 6ª e 7ª fases do curso, disponíveis no site do evento. Além disso, a professora Cátia Machado do Câmpus Jaraguá do Sul também falou sobre a forma como o estágio é desenvolvido no câmpus.

Avaliação

Paula Alves Aguiar, professora do Câmpus São José e integrante da comissão organizadora, ressaltou a troca de experiências realizada durante o seminário. “Considero que o evento oportunizou a interação entre os câmpus do IFSC que possuem licenciatura, destacou as atividades de estágio fundamentais para formação de professores, e incentivou os licenciandos a refletirem sobre a prática educativa e seu importante papel na formação dos sujeitos”, avalia.

A professora Giselia Antunes Pereira, também integrante da comissão organizadora, conta que os participantes puderam avaliar o evento de forma anônima, por meio de formulário eletrônico. “Com base nessas avaliações, o feedback do Seminário foi positivo e suscitou o interesse pela sua continuidade nos próximos anos”, revela.

Tags: , ,

Faça um comentário!