Cozinha no Câmpus Florianópolis-Continente recebe novo sistema de exaustão

10. maio 2016 | Escrito por | Categoria: Câmpus Florianópolis-Continente, Cotidiano, Matérias, Sem categoria

Um novo sistema de exaustão foi implementado no Laboratório de Cozinha de Produção do Câmpus Florianópolis-Continente. O sistema, em funcionamento desde fevereiro, substitui uma coifa convencional instalada na construção da cozinha, em 2007. Com um quarto da potência anterior, o equipamento diminui a temperatura ambiente de 30º C para uma média de  24º C. Além disso, como os gases e gorduras presentes nos vapores da cozinha são retidos por filtragem antes de serem lançados no ar, os impactos ambientais foram reduzidos.

“As aulas práticas na cozinha se tornaram mais confortáveis”, aprova o professor Gustavo Adolfo Maresch, do curso superior de tecnologia em Gastronomia. O docente conta que, com o sistema antigo, o cheiro proveniente da cozinha se estendia a outras regiões do câmpus. Durante as atividades em dias de calor, a alta temperatura também causava  mal estar aos alunos com problemas de pressão arterial.

Para o diretor-geral do câmpus, Caio Alexandre Martini Monti, o instituto deu um passo à frente na gestão sustentável dos resíduos com a implementação do exaustor. “Melhoramos a estrutura dos laboratórios de aprendizagem e ao mesmo tempo os alunos entram em contato com opções sustentáveis”, aponta o diretor.

Como funciona o sistema

Uma luz sinaliza quando os dois captores que ficam sobre o forno industrial e os fogões estão em funcionamento, captando o calor de toda a cozinha e do Laboratório de Habilidades, também operado pelo curso. Os vapores são conduzidos por um duto até o terceiro andar do prédio, que corresponde ao sótão. Lá estão a caixa d’água de dois mil litros onde o vapor é filtrado, resfriador, exaustor em forma de caracol e duto para uma chaminé que compõem o sistema.

Ao todo, o sistema custou 36 mil reais. O servidor Jardel Alzemiro Vieira, que esteve à frente do processo de licitação, aquisição e instalação da estrutura, explica que a limpeza periódica e troca da água semestral serão facilitadas pelo acesso direto ao sótão. Jardel é formado pelo IFSC no curso técnico em Refrigeração e Climatização do Câmpus São José e técnico em Manutenção do Câmpus Florianópolis.

 

Tags: , ,

Faça um comentário!