Currículo Integrado é debatido em evento em Chapecó

20. junho 2016 | Escrito por | Categoria: Câmpus Chapecó, Colunas, Matérias

ciclo-debates1_chapecoCom o propósito de aprofundar os debates sobre o Currículo Integrado e sua materialização nos Institutos Federais e outras instituições de ensino do Brasil, o IFSC realizou, em Chapecó, o I Ciclo de Debates sobre o Currículo Integrado. O evento ocorreu na última quinta-feira (16), no Sindicato dos Bancários, em Chapecó.

O Ciclo de Debates reuniu professores, estudantes, técnicos administrativos, gestores e outros profissionais da educação dos três estados do Sul do Brasil. Ao todo foram quase 200 inscritos ligados às redes públicas e privadas e movimentos sociais.

Entre os participantes também estiveram presentes servidores de mais de 10 câmpus vinculados ao Institutos Federais de Santa Catarina, Instituto Federal Catarinense, Instituto Federal do Rio Grande do Sul e Instituto Federal do Paraná.

O palestrante do evento, o professor doutor Gaudêncio Frigotto, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), tratou das disputas de concepção na área da educação e dos desafios para a implantação do currículo integrado nos Institutos Federais.

Vínculo entre o currículo integrado, a história e a política

ciclo-debates2_chapecoPara Frigotto, não há como desvincular os debates sobre o currículo integrado da história da educação brasileira, dos debates políticos e dos distintos projetos em disputa em nossa sociedade desde o início do século XX.

Para ele, a própria opção pelo currículo integrado é uma opção política. Ele detalha que foi em meio a disputas políticas e pedagógicas que ganhou força na década de 1980 no Brasil o debate sobre a educação politécnica como contraponto ao tecnicismo e a uma formação técnica fragmentada e aligeirada. “Uma educação politécnica é o desenvolvimento de um conhecimento que dê base para entender todos os elementos da ciência que estão implicados na produção da vida.”

De acordo com Frigotto, a perspectiva politécnica e uma visão das ciências a partir do conceito de totalidade são centrais para o currículo integrado. “A ciência tende a particularizar, a física, a química, a biologia, mas todas elas estão conectadas. O que nos dá o conhecimento são as conexões. Isto é que é o currículo integrado”, destaca.

Questionado sobre como integrar, Frigotto salientou que não há uma única regra ou forma de integrar. “Por onde faz o integrado? O integrado não tem uma regra. Você pode integrar disciplinas, pode integrar por projetos, pode integrar por tema gerador, pode começar a integrar pela música. Enfim, é estar atento às experiências e ver como elas podem se adaptar. Nada se copia, tudo se ressignifica, porque os contextos são diferentes”, destacou o palestrante.

Reflexão sobre o ensino integrado

ciclo-debates3_chapecoDurante as duas palestras, realizadas à tarde e noite, Frigotto também propôs uma reflexão sobre o currículo integrado e o papel dos institutos federais diante do contexto político e da conjuntura atual do país.

Para ele, há três caminhos possíveis a seguir: adesão passiva, indiferença ou resistência ativa. “Diante dessa conjuntura, por qual desses caminhos seguirão os Institutos Federais?”, perguntou aos presentes.

Na avaliação do professor do Câmpus Chapecó Adriano Larentes da Silva, membro da comissão organização do Ciclo de Debates, o evento atingiu plenamente os objetivos propostos e instigou os participantes a refletirem sobre o que é o currículo integrado, qual a sua vinculação com a realidade brasileira e como tem sido colocado em prática em sala de aula. “Além disso, o evento mostrou que há uma grande demanda pelo aprofundamento teórico sobre o tema nos três estados do sul do Brasil”, detalhou.

O Ciclo de Debates sobre o Currículo Integrado foi organizado pelo Grupo de Estudo e Pesquisa em Currículo Integrado do IFSC Câmpus Chapecó por meio do edital Aproex 01/2016 e contou com a colaboração dos Câmpus Chapecó, São Miguel do Oeste e Xanxerê. A próxima etapa do ciclo acontecerá no dia 1º de agosto também em Chapecó.

Por Rafaela Menin | Jornalista IFSC

Tags: ,

Faça um comentário!