Índice de abstenção do Vestibular 2016.2 é de 26%

27. junho 2016 | Escrito por | Categoria: Câmpus Chapecó, Câmpus Florianópolis, Câmpus Gaspar, Câmpus Itajaí, Câmpus Jaraguá do Sul-Rau, Câmpus Joinville, Câmpus São José, Cotidiano, Matérias

13438894_1279077245466050_5318293571569002711_nNo domingo (26), o IFSC realizou o Vestibular 2016.2 para 18 cursos superiores. O índice geral de abstenção foi de 26% nos nove locais de prova em sete cidades. Dos 3.924 candidatos aptos a realizar a prova, 1.019 não compareceram. O maior índice de abstenção foi registrado no Câmpus Chapecó, com 35,6% de faltas. O menor índice foi em Jaraguá do Sul (Câmpus Geraldo Werninghaus), com 18,1%.

Os demais locais de prova registraram os seguintes índices: Câmpus Itajaí (35,1%), Joinville – EEB. Oswaldo Aranha (31,7%), Florianópolis – UFSC (31%), Câmpus São José (27,8%), Câmpus Florianópolis (23,9%), Câmpus Joinville (20,1%) e Câmpus Gaspar (18,7%).

A divulgação do gabarito definitivo está prevista para dia 1º de julho, a partir das 18h, na página do IFSC. A divulgação dos candidatos aprovados em primeira chamada está prevista para 14 de julho, a partir das 18h.

Candidatos comentam temas da redação

IMG_6673Os temas da redação foram diferentes para cada local de prova. A estudante Laura Vilela fez Vestibular para o curso de Engenharia Mecânica no Câmpus Florianópolis. Para ela, o tema da redação estava fácil, por se tratar de temas abrangentes e atuais. Ela optou pelo segundo tema: “Grandes atitudes começam com pequenos atos”, que trazia um post sobre o chamado “jeitinho brasileiro”. Laura ainda está no terceiro ano do ensino médio e fez a prova para treinar. “Foi tranquilo, para treino foi muito bom”, destaca.

O estudante Jefferson Ribeiro Otharan optou pelo primeiro tema da redação, “A importância das lições de vida na formação do indivíduo”. “Foram escolhidos temas mais do dia a dia, não precisava ter tanto conhecimento”, conta. Para ele, que foi um dos primeiros a deixar o Câmpus Florianópolis, “a prova estava com um nível bom, nem tão fácil e nem tão difícil”. Jefferson, que já fez outros vestibulares, diz que desta vez estava mais preparado para ingressar em Engenharia Elétrica.

IMG_6708A prova com questões de somatória exigiu bastante atenção dos candidatos, segundo Lucas Paulo da Cunha, que fez prova para o curso de Engenharia Elétrica. “Tem que estar bem certo do que vai assinalar”, afirma. Sobre a prova de redação, disse que gostou dos dois temas, bastante atuais e abrangentes.

Já no Câmpus Joinville, Jéssica Schwann gosta muito de ler e achou os temas da redação “maravilhosos”. Ela optou pelo tema “grandes atitudes começam por pequenos atos”. Ela fez vestibular para Engenharia Mecânica e achou a prova tranquila. “A prova foi bem elaborada e englobou o necessário para quem vai fazer faculdade”, analisa.

Motivos para tentar uma vaga no IFSC

50b7e33a-7a45-43a8-b89f-2da00fb4c5c0São muitos os motivos que levam os candidatos a se inscreverem no Vestibular do IFSC. Dieferson dos Santos Lopes, 23 anos, foi o primeiro candidato a chegar em frente ao portão do Câmpus Joinville no domingo, às 11h15. Ele veio de Mafra, distante 134 quilômetros, para fazer a prova para o curso de Engenharia Elétrica, do Câmpus Florianópolis. Formado técnico em Eletrotécnica pela Fundação Liberato (RS), ele quer dar sequência na formação. Atualmente, Dieferson trabalha na área de automação industrial, em Mafra. Se passar, ele vai morar em Florianópolis e estudar no IFSC junto com os primos, Thales, e Alisson, que cursam Engenharia Civil e Engenharia Elétrica, respectivamente.

Maycon da Silva, 21 anos, está há apenas cinco meses em Joinville. Ele e a esposa, Gleissa Kelli, vieram de Belém (PA) em busca de emprego e oportunidade de crescimento profissional e pessoal. Maycon já está empregado como sushiman, trabalho que aprendeu em Belém. Mas, além de cozinhar, ele gosta de cálculo e engenharia. Resultado: está fazendo o vestibular para Engenharia Mecânica. Ele soube do IFSC ainda em Belém, tanto que sua esposa se inscreveu no Sistema de Seleção Unificada (Sisu) para o curso de Gestão Hospitalar do Câmpus Joinville ainda no Pará. A confirmação saiu quando já estavam em Santa Catarina. Gleissa começou o curso no início do ano no Câmpus Joinville.

sao_joseDiogo Bilk foi o primeiro candidato a deixar a sala de prova no Câmpus Joinville. Ele se formou no curso técnico integrado em Mecânica na primeira turma do Câmpus, em 2014, e não vê a hora de voltar a estudar. Com a oferta de Engenharia Mecânica, ele não pensou duas vezes e se inscreveu para a primeira turma. Neste período, Diogo casou com a Roberta, que também fez vestibular para Engenharia Mecânica, e arrumou emprego como operador em uma indústria da cidade. Na prova, ele achou mais difícil matemática e física, mas acredita que tem chance. Por via das dúvidas, ele se inscreveu no Enem para tentar uma vaga no início do ano pelo Sisu.

As amigas Amanda Cristina Ramos e Lidiane Santana Nascimento fizeram o vestibular para Gestão Hospitalar por gostarem da área administrativa. Amanda já começou dois cursos superiores na área de tecnologia da informação mas não se identificou. “Queria fazer algo na área administrativa e o IFSC é a única escola federal que tem curso nesta área em Joinville”, explica Amanda. Lidiane cursa Engenharia de Transporte e Logística na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e está pensando na possibilidade de mudar para a área de gestão. “Analisei a matriz curricular do curso e achei interessante”, afirma. O que mais chamou a atenção das duas na prova foi o texto “O tempo”, de Mário Quintana. “Fez refletir sobre a vida.”

Veja as fotos dos locais de prova.

Por Carla Algeri e Liane Dani / Jornalistas IFSC

Tags: , ,

Faça um comentário!