Curso do Cerfead capacita professores da rede estadual

15. julho 2016 | Escrito por | Categoria: Cotidiano, Matérias, Reitoria

O Centro de Referência em Formação e Educação a Distância (Cerfead) finalizou no início do mês o curso de formação inicial e continuada Leitura e Formação de Leitores, que formou professores de 15 escolas estaduais da Grande Florianópolis. As atividades começaram em 2014, quando o IFSC assinou um termo de cooperação técnica com a então Gerência Regional de Educação (hoje Coordenadoria Regional de Educação) para oferecer formação continuada aos docentes de Língua Portuguesa dos anos finais do Ensino Fundamental e do Ensino Médio.

curso_professores_cerfeadAo longo do curso, os professores refletiram sobre a importância de inovar as práticas pedagógicas para quebrar barreiras como a dificuldade de motivar os alunos à leitura. “Na verdade, é preciso despertar nos professores a sensibilidade para perceberem que os alunos leem, embora o que seja selecionado por eles nem sempre é aquilo que a escola gostaria que lessem”, afirma a professora Marizete Bortolanza Spessatto, ministrantes do curso junto com a professora Maria dos Anjos Lopes Viella.

A afirmação foi confirmada em pesquisa. Articulada à formação, foi coordenada pelas docentes do Cerfead a pesquisa de fluxo contínuo “O perfil dos leitores do Ensino Médio na região da Grande Florianópolis: um estudo com os segundos anos do Ensino Médio Regular e do Ensino Médio Inovador”. Foram aplicados, no final de 2015, cerca de 800 questionários com alunos das escolas nas quais atuam os professores participantes do curso. Os resultados mostraram que a maior parte dos alunos do Ensino Médio constitui-­se como leitor (379 deles indicaram ter lido de um a três livros ao longo do ano, 123 leram de quatro a seis livros, 49 de sete a nove, 42 mais de dez e 34 afirmaram ter lido mais de 20 livros ao longo do período).

Os dados da pesquisa, por outro lado, serviram como alerta aos professores: as obras lidas pelos alunos são aquelas mais divulgadas pela mídia e pelas redes sociais, e não as obras canônicas da literatura. E ainda: grande parte dos estudantes desse perfil etário e escolar faz sua leitura em suportes pouco utilizados pela escola, como os livros digitais e baixados pela internet. Com os dados em mãos, as atividades desenvolvidas no curso foram focadas em assegurar a construção coletiva de novas estratégias de formação de leitores, adequadas ao perfil dos sujeitos que estão na escola.

A estratégia surtiu resultado, segundo a professora Isolene Ribeiro, que atua na Escola de Ensino Médio Jacó Anderle, em Florianópolis. “O curso de Leitura e Formação de Leitores foi enriquecedor na minha formação, pois aprendi muito e, graças a isso, minhas aulas estão cada vez melhores. Cada ideia compartilhada no curso é aplicada no meu cotidiano escolar”, conclui. “O conhecimento só faz sentido se utilizado para a evolução e o crescimento do ser humano. Aprendermos uns com os outros é algo fantástico e esta formação, sem dúvida nenhuma, nos conquistou pois nos permitiu trocar, aprender e crescer”, complementa o professor Alencar Tristão da Rosa, da Escola Maria José Barbosa Vieira, de São José.

No último encontro da formação, as ministrantes do curso fizeram a distribuição de mais de 300 obras arrecadadas em uma campanha que envolveu os câmpus São José e Continente, além da Reitoria do IFSC, para a doação de livros à escola Bela Vista, de São José, que teve o acervo da biblioteca queimado em um incêndio.

Faça um comentário!