Estudante do Câmpus Joinville representa escolas públicas na recepção da tocha olímpica

15. julho 2016 | Escrito por | Categoria: Câmpus Joinville, Cotidiano, Matérias

A passagem da tocha olímpica por Joinville teve um significado muito especial para o aluno Lucas Kolombeski, do 5º módulo do curso técnico integrado em Mecânica do Câmpus Joinville do IFSC. Ele foi um dos anfitriões da chama olímpica na cidade, na tarde desta quarta-feira (13), no Pórtico de entrada de Joinville. “É uma honra representar todos os alunos da rede pública. A gente sente realmente o espírito dos Jogos, que é de união entre as nações”, disse, emocionado.

 

Junto com os alunos Gabriel da Silva Kolombesk e Ana Karolina Holmes Coelho, do 7º ano da Escola Municipal Presidente Castello Branco, Lucas recebeu a chama olímpica, vinda da cidade de São Francisco do Sul (SC), e acendeu a tocha do primeiro condutor, o artista plástico Juarez Machado, que deu início ao revezamento do símbolo das Olimpíadas pelas principais ruas de Joinville. Os alunos também acompanharam o artista nos primeiros duzentos metros do percurso.

 

No total, 80 condutores foram selecionados para conduzir a tocha nos 22 quilômetros de trajeto de passagem da chama olímpica por Joinville, última cidade catarinense a receber a tocha olímpica. Nessa quinta-feira (14), a caravana segue para São José dos Pinhais e Curitiba, no Paraná.

 

Os alunos da rede pública foram selecionados em um concurso de redação que teve como macrotema “O Brasil e os Jogos Olímpicos”, promovido pelo Ministério da Educação (MEC) entre as escolas com melhor desempenho nas avaliações de rendimento escolar. Lucas escolheu o tema “Jogos paralímpicos e inclusão social” para escrever sua redação por acreditar que o esporte é um modo de incluir pessoas marginalizadas e esquecidas no contexto geral.

 

Lucas é apaixonado por literatura e, além de ser um leitor assíduo, é um ótimo escritor. Seu conto “Descrevo porque anseio” foi publicado no livro de contos e crônicas Viagens de Papel, pela Andross Editora, no ano passado. Apesar da aptidão, Lucas não se vê escritor profissional. “Tento colocar no papel algo que quero desabafar. Escrevo por hobby. Não quero escrever por obrigação”, explica.

 

O Câmpus Joinville foi selecionado para representar as escolas de ensino médio devido à excelente nota obtida no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2014, com média de 617,42 pontos – a melhor nota de todas as escolas públicas de Santa Catarina. A Escola Castello Branco representou os alunos do ensino fundamental por causa da nota na Prova Brasil.

 

 

Por Liane Dani | Jornalista IFSC

Faça um comentário!