Seminário em Joinville aborda problemas comuns na terceira idade

15. julho 2016 | Escrito por | Categoria: Câmpus Joinville, Eventos, Matérias

Com base em pesquisas científicas e bibliográficas, os alunos do curso pós-técnico em Saúde do Idoso do Câmpus Joinville apresentaram um seminário em que foram abordados problemas comuns na terceira idade e que merecem maior atenção da saúde pública, dos profissionais da área e da sociedade como um todo. Os temas trabalhados pelos grupos foram: quedas, atividades físicas, prótese dentária e nutrição, acidente vascular cerebral (AVC) e HIV na terceira idade.

 

A primeira turma do curso de especialização técnica do câmpus dará sequência aos trabalhos no segundo semestre com a parte de intervenção na comunidade. No todo, o objetivo é discutir os problemas a partir da demanda da área, consultar os trabalhos já existentes e propor orientações e alternativas que contribuam para a melhoria da saúde e da qualidade de vida dos idosos.

 

De acordo com estimativas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Brasil tem 20,6 milhões de idosos, o que representa 10,8% da população total, e uma estimativa de chegar a 58,4 milhões em 2060. “O envelhecimento da população está acelerado em todo mundo”, lembraram as estudantes Marcia Hilário Machado e Elenir da Silveira.

 

As alunas optaram por se aprofundar em um problema bastante comum em idosos: as quedas. Em 2012, por exemplo, foram registradas 86.149 internações de idosos motivadas por quedas, das quais 4.130 foram em Santa Catarina e 35 em Joinville. “A queda é um dos problemas mais comuns entre os idosos e pode provocar fraturas com consequências graves, como imobilidade física e traumas psicológicos”, explicam.

 

A intenção das estudantes é dar sequência ao projeto no segundo semestre e produzir um panfleto de orientação aos profissionais que trabalham na área e aos familiares sobre os riscos de quedas e orientações de prevenção. Segundo o levantamento que elas fizeram, o lugar mais iminente de acidentes é o quarto e mudanças simples, como a retirada de tapetes e a melhoria da iluminação, já ajudam a deixar o local mais seguro.

 

Totalmente gratuito, o curso de especialização técnica em Saúde do Idoso está organizado em dois semestres, com aulas presenciais duas vezes por semana e a distância (EaD), via plataforma digital, totalizando 360 horas. O especialista em saúde do idoso pós-técnico é o profissional integrante da equipe multidisciplinar que desenvolve ações com pessoas da terceira idade, como ações de promoção da saúde, inclusão, prevenção de incapacidades, manutenção da capacidade funcional da pessoa idosa e reabilitação referenciada nas necessidades de saúde, individual e coletiva determinados pelo processo saúde-doença.

 

Por Liane Maria Dani | Jornalista IFSC

Faça um comentário!