Curso de licenciatura em Química do Câmpus Criciúma discute desafios da profissão no Eneq

29. julho 2016 | Escrito por | Categoria: Câmpus Criciúma, Cotidiano, Matérias

eneq1_criciumaOs desafios da formação e do trabalho dos professores de Química estiveram no centro das discussões do Encontro Nacional de Ensino de Química (Eneq), evento que se encerra nesta sexta-feira (29) em Florianópolis. E o Câmpus Criciúma do Instituto Federal Santa Catarina (IFSC), que forma futuros professores no curso de Licenciatura em Química, esteve presente no encontro.

Uma delegação de alunos e professores do Câmpus Criciúma participou do Eneq na terça-feira, dia 26. “Foi um evento muito bom, que discutiu a formação do professor de Química e questões relacionadas ao ensino em todos os seus aspectos. Além disso, os alunos puderam aproveitar a diversidade de trabalhos que foram aproveitados”, relata a professora Marleide Coan Cardoso, coordenadora do curso de Licenciatura em Química.

O Câmpus Criciúma também marcou presença com a apresentação de trabalhos: “Câmpus Criciúma como meio de divulgação do Ensino de Química”, de Maria Júlia Brunel, Patrícia Viana, Ana Paula Figueiredo, Graziele Boaventura Possenti, Marcelo Dal Bó e Lucas Dominguini; “Montagem de um calorímetro: aplicação da teoria em um experimento”, de Marcelo Dal Bó, Fernanda Freitas e Ana Paula Figueiredo; “As metodologias de aprendizagem relacionadas à problematização a partir da experimentação e observação no ensino de Química”, de Naiane Mariano e Michele Dutra; e “Aplicação didática do software livre Rasmol em alunos de graduação”, de Elen Gomes Pereira.

eneq2_criciumaElen é formada no bacharelado em Química pela Universidade de São Paulo (USP), mestre em Modelagem Computacional pelo Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC) e doutora em Ciências da Saúde pela Universidade do Extremo Sul Catarinense (Unesc). Aluna do curso de Licenciatura em Química, ela encontrou no IFSC a oportunidade de direcionar sua carreira para a educação, aproveitando sua experiência no uso de ferramentas tecnológicas no ensino.

A participação no Eneq foi uma oportunidade de se relacionar com pesquisadores para firmar futuras parcerias. “Muitas pessoas chegaram a mim para saber o que era minha pesquisa. Meu trabalho foi mostrar como usei esse software para ensinar conceitos básicos de Química com alunos de graduação”, relata.

O Eneq acontece a cada dois anos e é o mais importante evento da Divisão de Ensino da Sociedade Brasileira de Química (SBQ). O evento deste ano teve o IFSC como uma das instituições organizadoras.

Por Daniel Cassol | Jornalista IFSC

Tags: ,

Faça um comentário!