Professores e alunos aprovam Semana Tecnológica do Câmpus Criciúma

15. agosto 2016 | Escrito por | Categoria: Câmpus Criciúma, Cotidiano, Matérias

semana_criciumaCinco dias, quase 600 participantes e mais de 40 atividades entre palestras e minicursos. O balanço quantitativo da Semana Tecnológica do Câmpus Criciúma do IFSC dá conta de apenas uma parte do que foi o evento realizado de 8 a 12 de agosto. O impacto para além dos números está na participação intensa de professores e estudantes.

O interesse do público marcou positivamente vários palestrantes que estiveram no Câmpus Criciúma. Responsável pela palestra de abertura da Semana, o professor Raul Sidnei Wazlawick, da UFSC, ficou satisfeito com a participação dos alunos em sua palestra sobre “Pesquisa, Inovação e Desenvolvimento Tecnológico”.

“Inicialmente considerei um desafio falar para alunos de cursos de áreas diferentes da minha, mas como a tecnologia é onipresente na sociedade atual, o tema foi facilmente absorvido pela plateia, o que, acredito, se comprova pelas inúmeras perguntas feitas ao final da apresentação, demonstrando o preparo e interesse dos alunos do IFSC no assunto”, destaca o professor.

semana_criciuma1A mesma avaliação é feita pela estudante de Arquitetura da Unesc, Luana Loebens, que participou de uma mesa redonda sobre os cursos de Arquitetura e Engenharia Civil. “Os alunos demonstraram muito interesse pelo tema e fizeram perguntas pertinentes que eu mesma tinha quando estava para entrar no ensino superior”, destaca Luana, que falou aos alunos do curso técnico em Edificações. “O IFSC proporcionou uma oportunidade incrível para os alunos do ensino técnico, de receber conhecimento da experiência de duas recém formadas na universidade. Este é um momento muito importante na vida de cada um, e as dúvidas surgem frenquentemente”, completa.

Realizada com recursos do Edital Proeventos da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (Fapesc), a Semana Tecnológica buscou capacitar a comunidade acadêmica em temáticas relacionadas às áreas de atuação do Câmpus Criciúma: Mecatrônica, Eletrotécnica, Edificações e Química.

semana_criciuma2Pesquisadora de Educação e Tecnologias, a professora Graziela Giacomazzo, da Unesc, falou a uma plateia formada por estudantes do curso de Licenciatura em Química, contando sua trajetória como professora e suas primeiras pesquisas na área. “Quando trabalhamos com experiências reais, os alunos tendem a compreender melhor. Além disso é importante, para alunos de Licenciatura, problematizar as questões envolvendo a educação e a cultura digital”, explica.

Mulheres e tecnologia

semana_criciuma3Professora da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Karen da Silva Figueiredo trouxe à Semana seu entusiasmo pela participação das mulheres nas carreiras tecnológicas. Coordenadora do programa “Meninas Digitais”, ela defende um maior envolvimento das mulheres em carreiras tradicionalmente ocupadas por homens. “É uma necessidade da área. Precisamos de perfis profissionais diferentes para encontrar soluções diferentes”, destaca a professora, que também ministrou um minicurso no qual os alunos eram estimulados a criar um aplicativo para solucionar problemas locais. “Mesmo não sendo alunos de computação, encontraram soluções criativas dentro do tema proposto”, avalia.

O tema foi um dos que mais interessou à aluna Talita Casagrande, estudante do curso técnico em Mecatrônica. “A mulher nunca é mostrada atuando em áreas técnicas”, critica Talita, que aproveitou o evento para discutir o assunto com a professora Karen. Além da palestra sobre mulheres na ciência, Talita também gostou da exposição do CIEE sobre processo seletivo e marketing pessoal. “É um assunto importante para nós que vamos entrar no mercado de trabalho, porque trouxe questões sobre como montar um currículo e se apresentar em uma entrevista de emprego”, relata.

Avaliação positiva

Cada aluno aproveitou a Semana Tecnológica de acordo com suas áreas de interessa. Irmã de Talita, Talia Casagrande se interessou particularmente pela palestra sobre a fabricação de cimento. “Explicou como o cimento é fabricado e quais cuidados se deve ter em uma obra. É um tema importante para o curso de quero seguir”, diz Talia, aluna do curso técnico em Edificações, que pretende seguir a carreira na Engenharia Civil.

Para Camille Mezzari, aluna do curso técnico em Química, as atividades mais interessantes foram as de sensores químicos e extração de pigmentos. “Foram temas dentro da minha área e tive facilidade em participar, já que sei como agir dentro de um laboratório de Química”, diz Camille, que também pretende seguir na área após concluir o curso no IFSC. Além das atividades relacionadas à Química, Camille também saiu com grandes ideias da palestra sobre empreendedorismo em tempos de crise. “Fiquei pensando em coisas que podem ser aproveitadas em nosso trabalho de conclusão de curso. O palestrante falou que oportunidades nascem da necessidade, e uma das questões importantes hoje é o meio ambiente”, relata a aluna, que planeja desenvolver uma pesquisa relacionada ao rio Criciúma.

Já Edval Machado, aluno do curso subsequente em Edificações, não se ateve à sua própria área de interesse. Porque ele se interessa por tudo. “A Semana foi excelente. Eu sempre digo que uma das formas de aprender é escutar”, resume Edval, que marcou presença em várias palestras e minicursos.

Por Daniel Cassol | Jornalista IFSC

Tags:

Faça um comentário!