Reitora se reúne com alunos para discutir assistência estudantil

26. agosto 2016 | Escrito por | Categoria: Gestão, Governo Federal, Matérias, Reitoria

reuniaopaevsA reunião, que se estendeu por toda a tarde desta sexta-feira (26) no Auditório da Reitoria, tratou da situação da assistência estudantil no IFSC. Alunos de Xanxerê e Tubarão acompanharam a reunião com os gestores do instituto por videoconferência, mas os outros câmpus conseguiram deslocar alunos até Florianópolis.

O Programa de Atendimento ao Estudante em Vulnerabilidade Social (Paevs) está enfrentando restrições financeiras este ano. Com o contigenciamento de recursos para assistência estudantil por parte do governo federal, o programa passou por um reajuste. A solução foi a redução proporcional no valor das bolsas repassadas aos alunos, conforme foi noticiado em julho.

“Nossa assistência estudantil é robusta e, por isso, insustentável.  Os institutos não pagam mais de 300 reais mensais aos alunos, enquanto nós repassávamos 500 reais. A instituição está crescendo e tentaremos manter a proporção de alunos atendidos pelo programa, mas o corte foi necessário” explica a reitora do IFSC, Maria Clara Kaschny Schneider.

Na segunda semana de agosto, o quadro melhorou e uma nova cota de 10% do orçamento foi liberada. Essa medida não suspendeu o reajuste das bolsas, mas garantiu a abertura de um novo edital do PAEVS. A Diretoria de Assuntos Estudantis (DAE) ainda não definiu a data de lançamento deste edital, mas há urgência para lançamento nos próximos dias.

Esse edital deve cobrir alunos que estão sem receber auxílio por estarem com o Índice de Vulnerabilidade Social (IVS) vencido e os alunos que ingressaram no segundo semestre de 2016, explica o pró-reitor de Ensino, Luiz Otávio Cabral. Nos processos seletivos do IFSC, 25% das vagas são destinadas a alunos de baixa renda.

A reitora defendeu, neste sentido, a vinculação do ingresso por cota social ao PAEVS, ou seja, se um aluno entrar por renda baixa, o ideal é que isso já determine seu IVS e inserção nos editais do Paevs. Outras dúvidas e sugestões foram levantadas pelos alunos, confira a reunião na íntegra.

A diretora de Assuntos Estudantis Girlane Almeida Bondan destacou aspectos operacionais do PAEVS, como a informatização de processos, que hoje acontecem presencialmente nos câmpus. A gestora soliciou que as agremiações estudantis entrassem em contato pelo e-mail dae@ifsc.edu.br, para a criação de canal de comunicação. Relembrou, ainda, a importância da participação dos alunos no questionário de avaliação do programa.

O movimento estudantil no IFSC

A reunião foi uma demanda apresentada por um comitê independente composto por alunos de diversos câmpus. Esse mesmo comitê, que tem articulado uma mobilização contra os cortes no Paevs pelas redes, planeja montar uma entidade que represente os alunos institucionalmente – aos moldes dos diretórios centrais acadêmicos nas universidades. Atualmente, a maioria dos câmpus possuem agremiações estudantis autônomas.

“O movimento estudantil no IFSC é fragmentado e tem algo muito específico: reúne alunos de ensino médio, fundamental e superior”, explica a aluna Meriellen Colares, graduanda em Física pelo Câmpus Jaraguá do Sul e uma das organizadoras do comitê. “Queremos propor um núcleo estadual estudantil para reunir os estudantes e fazer resistência aos cortes no Paevs e outras demandas.”

Pela via institucional, a administração central do IFSC aposta na criação de uma Comissão de Assuntos Estudantis composta por gestores, servidores da área de serviço social e alunos. A proposta ainda será discutida com os estudantes.

Por Eduarda Hillebrandt | Estagiária de Jornalismo IFSC

Faça um comentário!