Projetos de extensão em Caçador ajudam estudantes a conhecer conceitos de administração

16. setembro 2016 | Escrito por | Categoria: Câmpus Caçador, Cotidiano, Matérias

Estudantes das fases iniciais do curso técnico integrado em Administração do Câmpus Caçador tiveram a oportunidade, por meio de projetos de extensão, de conhecer mais sobre conceitos da área. No primeiro semestre, eles tiveram que descrever dimensões organizacionais de empresas da região e, no segundo, vão se dedicar a analisar e propor melhorias para elas. Isso deve ajudar os alunos, na faixa de 15 a 18 anos e com pouca ou nenhuma experiênca no mundo do trabalho, a conhecer na prática os conceitos explicados em sala.

alunos_cacador

Alunos em visita a uma das empresas em Caçador

“Para o aluno que não tem vivência dentro de uma organização, como é o caso daqueles dos cursos integrados, conceitos simples como ‘departamento’ podem ser muito abstratos”, explica o professor Pierry Teza, coordenador dos projetos. Conceitos como estrutura organizacional, departamentalização, liderança, entre outros, estão sendo verificados pelos alunos nos projetos.

O projeto “Organização, sistemas e métodos [OSM] em empresas de Caçador” foi realizado entre 5 de abril e 31 de maio deste ano pelos estudantes da primeira fase do curso. Ele teve três objetivos, que foram identificar a estrutura organizacional das empresas, as frentes de atuação de OSM nas organizações e as relações entre as tecnologias da informação e as atividades de OSM.

Nos entanto, o projeto não trabalhou apenas com a disciplina de OSM. Outras disciplinas envolvidas foram Informática Básica I e Fundamentos de Administração I. “Os alunos acabam percebendo a interrelação entre os conteúdos. Isso faz que com eles entendam que diferentes áreas do conhecimentos possuem pontos de ligação, e que uma visão sistêmica pode ajudar eles a entender o mundo”, comenta Pierry.

Os professores das três disciplinas desenvolveram um roteiro para que os alunos fizessem seus relatórios, divididos em equipes de até cinco estudantes. Depois de elaborados, os roteiros foram apresentados em sala de aula. Foram visitadas sete empresas, todas escolhidas pelos próprios alunos. Nos relatórios, os estudantes tinham que caracterizar a empresa (localização, o que produz, quantidade de funcionários, entre outros itens), identificar processos e características ligadas às três disciplinas.

O resultado foi definido como impressionante pelo professor Pierry. Algumas equipes demonstraram grande maturidade na condução dos trabalhos, apesar da pouca idade dos integrantes. A articulação dos estudantes com o ambiente da empresa é uma dificuldade a ser superada. “Embora eles tenham algum conhecimento, em alguns casos, falta um pouco de segurança. Acreditamos que isso também é típico da idade e da fase da vida em que eles estão. Mas temos trabalhado essa questão de segurança, e postura, em sala de aula.”

Para o estudante Ramon Vinícius Marqueviski, o objetivo do projeto foi atingido. “Ajudou não só a mim, mas a todos os meus colegas de curso que também participaram do projeto a compreender melhor e ver em prática os conteúdos e conceitos apresentados em sala”, diz.

Além dos conceitos

O conhecimento mais aprofundado sobre conceitos não foi o único benefício para os estudantes. Segundo o professor Pierry, a necessidade de os estudantes trabalharem em equipe, tomando decisões em conjunto, fez com que exercitassem a autonomia. “O que é importante não apenas no mundo do trabalho, mas no exercício da cidadania”, diz.

O estudante Ramon Vinícius Marqueviski destaca como benefício também a interação dentro de cada grupo e o incentivo à interação com os colegas. “Nos incentivou a interagir e fazer mais perguntas dentro de sala, que é uma coisa que em minha turma ainda estamos trabalhando”, conta.

Próximo projeto

O projeto “Consultoria Júnior em Gestão” vai ser realizado pelos alunos da segunda fase do curso no segundo semestre, até dezembro, e é complementar ao projeto do primeiro semestre. Os estudantes devem escolher empresas de pequeno porte da região de Caçador (10 a 15 funcionários), escolhidas pelos alunos. Mais uma vez, são três disciplinas envolvidas: OSM II, Informática Básica II e Fundamentos da Administração II.

Os alunos vão dar “um passo à frente” com esse projeto, como explica Pierry. Isso porque o objetivo dele é realizar o diagnóstico organizacional com ênfase em processos, formulários, leiaute, manuais, uso das tecnologias da informação e identificar oportunidades de melhoria a partir desse diagnóstico. Depois, os estudantes devem apresentar em sala de aula e para os empresários o resultado de sua análise. “Esse aumento da complexidade do que é solicitado deles faz com que eles tenham que articular cada vez mais as competências desenvolvidas no curso”, explica o professor. Os alunos são divididos em equipes de até cinco integrantes.

A expectativa de Ramon é ter um “entendimento maior e mais divertido” do conteúdo trabalhado em sala e que o projeto ajude os estudantes a assimilá-lo com a prática. “É uma oportunidade que poucas escolas em nossa cidade têm e por isso estamos nos esforçando e indo atrás de informações, pois esperando evoluir sempre e ser exemplo para a sociedade”, afirma.

Neste semestre o projeto está sendo trabalhado nas disciplinas de Organização, Sistemas e Métodos (professor Pierry Teza), Fundamentos da Administração (professora Marisa Sanson) e Informática (professor Davi Bernardo). Sempre que possível, um dos professores acompanha as equipes nas visitas.

Faça um comentário!