Haitianos se formam em curso de Português para imigrantes no Câmpus Gaspar

7. outubro 2016 | Escrito por | Categoria: Câmpus Gaspar, Cotidiano, Matérias

2016_10_5_formatura_hiatianos-034Uma das barreiras para a inserção no mercado de trabalho de imigrantes haitianos, a de não falar o Português, está sendo quebrada em Blumenau. Através do curso de Formação Inicial e Continuada (FIC) de “Língua portuguesa para imigrantes” e do curso “Mulheres Sim – Inserção cultural para imigrantes e refugiadas”, do Câmpus Gaspar do IFSC, eles estão aprendendo o idioma e se capacitando. Os cursos foram ofertados em parceria com a Universidade Regional de Blumenau (FURB) e a Cáritas Diocesana de Blumenau. Na noite desta quarta-feira (5), foi realizada a formatura dos alunos e participaram da cerimônia o reitor da FURB, João Natel Machado, o bispo de Blumenau, Dom Rafael Bienarski, e representantes da Cáritas Diocesana de Blumenau.

“É nestas horas que a gente vê que este trabalho vale a pena. No começo, poucos entendiam o que a gente falava e agora compreendem tudo. Eu também não sou daqui, mas moro em Blumenau há 20 anos e hoje chamo a cidade de minha casa. Eu espero que vocês, em breve, também considerem Blumenau a casa de vocês”, afirma a diretora-geral do Câmpus Gaspar do IFSC, Ana Paula da Silveira.

2016_10_5_formatura_hiatianos-038Lovena Baptista é uma das formandas do curso “Mulheres Sim – Inserção cultural para imigrantes e refugiadas”. Ela, que ao chegar no Brasil aprendeu a falar algumas palavras em Português pelas novelas, agora já se articula com muito mais desenvoltura. “Hoje eu consigo conversar mais e usar melhor os verbos em Português. Eu estava desempregada quando comecei o curso e agora trabalho em casa com costura.”

Molius Hyacinthe está no Brasil a pouco mais de um ano e considera que o fato de falar Espanhol tem o ajudado a aprender Português. “Eu achei o curso maravilhoso. Aprendi a como me apresentar, a fazer currículo e a entender melhor também os feriados brasileiros.”

2016_10_5_formatura_hiatianos-027O casal Guerline e Garry Sierrelouis procuraram o curso porque querem continuar seus estudos no Brasil. “Eu e minha esposa estamos desempregados, mas eu quero ser técnico em enfermagem”, explica Garry Sierrlouis.

Se a pronúncia e a desenvoltura com o idioma já melhoraram com o curso básico, eles irão aprofundar ainda mais seus conhecimentos no curso intermediário de Língua Portuguesa para imigrantes que o Câmpus Gaspar do IFSC está ofertando. Todos eles já estão matriculados e continuarão seus estudos.

Por Beatrice Gonçalves/ Jornalista IFSC

Faça um comentário!