EJA Transforma: saiba como é organizada a oferta de cursos

18. novembro 2016 | Escrito por | Categoria: Sem categoria

posts_face_eja_transforma-02Nesta semana, vamos falar mais um pouco sobre a Educação de Jovens e Adultos (EJA) no IFSC e como a oferta desse tipo de curso vem sendo consolidada na instituição.

Em 2013, a educação de jovens e adultos no IFSC ganhou novo impulso, com a criação da Comissão de Integração dos Programas Sociais do IFSC (Cips), integrando as ações de Certific, Proeja, bem como o atendimento aos públicos dos cursos Mulheres Mil e os oferecidos pelo Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec). Sua criação foi motivada tanto pela percepção da identidade do público estratégico desses programas, quanto pelas dificuldades para a implantação, a manutenção e a ampliação das ofertas.

Com a criação da Cips e coordenações de Proeja e Certific, iniciaram-se processos importantes para a consolidação da EJA no IFSC, como reconhecimento de saberes escolares do Ensino Fundamental, desburocratização do ingresso desses cursos e a oferta de projetos piloto de integração do Certific ao Proeja. Segundo Elenita Eliete de Lima, coordenadora do Proeja no IFSC, essas iniciativas resultaram em um incremento no número de matrículas, passando de 0,9% em 2013 para 4,74% em 2016.

Formação de professores

posts_face_eja_transforma-03Alguns dos empecilhos para a oferta maior de cursos Proeja nos institutos federais é a falta de entendimento dos professores sobre as especificidades do público da educação de jovens e adultos. Para atender a essa demanda, a Setec implantou, em 2006, políticas de formação de docentes para atuação em cursos Proeja.

O IFSC (na época ainda denominado Cefet) foi um dos institutos que ofereceram essa pós-graduação nos anos de 2006, 2007, 2009, 2010 e 2013. Elenita Eliete de Lima, coordenadora do Proeja no IFSC, e Claudia Hickenbick, coordenadora de Reconhecimento de Saberes, explicam que a adesão foi abaixo do esperado: “a participação dos servidores da rede não foi muito expressiva, seja por se tratar de uma modalidade de ensino, a EJA, que interessa a poucos; seja pelo fato de que a maioria dos professores possui títulos de mestrado e doutorado, tornando tal especialização interesse de uma minoria”.

As coordenadoras elencam outros fatores que podem ter contribuído para a pouca participação, como o início da oferta de cursos superiores de tecnologia e de pós-graduação pela instituições, concomitantemente à expansão da rede, o que deslocou muitos professores para cargos de gestão ou programas de qualificação. As coordenadoras ainda argumentam que outros programas do Governo Federal, como o Pronatec, complementam ou concorrem com a consolidação do Proeja.

posts_face_eja_transforma-04Assim, dos 171 alunos que cursaram especialização em Proeja até 2012, apenas 48 eram servidores do IFSC. Destes, apenas 23 são docentes, que passaram a ministrar aulas no Proeja ou atuam como gestores das políticas de inclusão de jovens e adultos. Mesmo assim, esse número está abaixo do desejado para cumprir a meta de oferta dessa modalidade.

Entre os alunos que não são servidores do IFSC, muitos são professores das redes municipais e estaduais de Santa Catarina, “o que assegura a formação para atender às políticas de parceria entre as redes para a oferta de cursos do Proeja”, segundo Elenita. Outro resultado positivo diz respeito à reflexão acerca do tema, com a pesquisa resultante dos trabalhos de conclusão de curso.

Em 2009, o Ministério da Educação, por intermédio das secretarias de Educação Profissional e Tecnológica (Setec) e Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade (Secad, atual Secadi) destinou recursos para a formação continuada de profissionais para implantação de cursos Proeja FIC, destinado a professores, profissionais da educação, técnicos e gestores de escolas municipais, profissionais da segurança pública, técnicos e gestores envolvidos na implantação e desenvolvimento dos cursos nos estabelecimentos penais.

Oportunidades de formação

Para 2017, está previsto um curso de formação continuada para servidores do IFSC com o objetivo de trabalhar com as diretrizes de educação de jovens e adultos no IFSC.

Já está com inscrições abertas até 30 de novembro a especialização a distância em Educação Profissional Integrada à Educação Básica na Modalidade de Educação de Jovens e Adultos (Proeja). Clique aqui e veja como se inscrever.

Clique aqui e saiba mais sobre a história da EJA no IFSC.

Veja também os vídeos da IFSCTV para a campanha EJA Transforma:

 

Tags: , , ,

Faça um comentário!