Programa Mulheres Sim promove inclusão e empoderamento feminino

8. março 2017 | Escrito por | Categoria: Câmpus Canoinhas, Matérias

MS FOTO 1Oportunidade. Quando as reeducandas do Presídio Regional de Mafra aceitaram o desafio de participar da turma do programa Mulheres Sim, ofertado pelo Câmpus Canoinhas do IFSC, elas vislumbraram a possibilidade de recomeçar a própria história. De agosto a dezembro do ano passado, as alunas do presídio tiveram sua rotina alterada para participar do curso de Educação e Gênero, com foco na valorização da mulher, empoderamento, acesso aos direitos, cidadania e possibilidades de geração de renda.

MS FOTO 2Aprendizado que, na prática, foi resumido por Liamar Maia (à direita, na foto), de 51 anos, em duas palavras: respeito e salgados, em referência à própria valorização pessoal e à sua aptidão para a cozinha. “Agora sei que posso sair daqui de cabeça erguida e seguir em frente”, enfatizou Liamar, que encontrou nas aulas o incentivo para continuar estudando e uma possibilidade de ganho futuro, na culinária, para poder sustentar os dois filhos. “Valeu a pena. Aprendi muito.”

Também foi o pensamento no futuro que motivou Suzana Alves Pscheidt (à esquerda), de 31 anos, a concluir o curso. “Quero ser uma pessoa melhor para poder dar o melhor para meu filho”, afirmou Suzana, que também foi a oradora da turma. Em nome das colegas, ela destacou a importância do curso para a reafirmação da identidade e incentivo aos estudos. “Dos pequenos que se fazem os grandes”, disse Suzana ao agradecer a confiança do IFSC e o apoio dos funcionários do Presídio.

Para o diretor do Presídio Regional de Mafra, Helton Neumann Leal (no centro da foto), o sucesso do curso reforça a importância da educação para a ressocialização e melhoria de vida. Como fatores positivos, ele cita ainda a redução dos índices de reincidência, a remição de pena e a capacitação para o trabalho. “Mudamos as pessoas através da educação”, enfatiza.

Durante o curso, as alunas tiveram aulas de conhecimento histórico-cultural, saúde da mulher e da família, ética e cidadania, linguagens, informática, desenvolvimento social e sustentável, vivência matemática e geração de renda, com oficinas de artesanato, culinária e economia solidária.

Trabalho coletivo

MS FOTO 3 OPÇÃO 3“A experiência me faz acreditar na capacidade de construir uma sociedade mais interessante”, comemora o gestor do programa Mulheres Sim no Câmpus Canoinhas, Cícero Santiago de Oliveira, que lembra a importância do trabalho conjunto e do envolvimento da sociedade para garantia dos direitos de jovens e adultos. “Um programa com as particularidades do Mulheres Sim só tem sucesso se todos se envolverem.”

A articulação entre as políticas públicas de educação, assistência social, saúde e segurança também são destacadas pela coordenadora do programa Mulheres Sim no IFSC, Paula Clarissa de Souza, como essencial para promover a inclusão educacional, a autonomia política, econômica, social, cultural e pessoal das mulheres, a erradicação da extrema pobreza, o combate à violência, a consolidação da cidadania feminina e o desenvolvimento sustentável – metas do programa.

A parceria entre o IFSC e o Presídio de Mafra para realização do programa Mulheres Sim contou com o apoio da Secretaria de Justiça e Cidadania de Santa Catarina, Secretaria de Educação de Santa Catarina, Centro de Educação de Jovens e Adultos de Mafra, Movimento de Economia Solidária de Santa Catarina, Fórum de Economia Solidária do Planalto Norte, Fórum de Educação de Jovens e Adultos de Santa Catarina, Pastoral Carcerária de Santa Catarina, Marcha Mundial de Mulheres e Sempreviva Organização Feminista.

Segundo Helton Leal, o programa foi acompanhado pelo Departamento de Administração Prisional (Deap) de Santa Catarina, que tem interesse em implantar o curso em todas as unidades prisionais femininas do estado, e pelo Ministério da Educação (MEC), que tem intenção de criar um plano nacional de educação prisional. Outra conquista é a edição de um livro com poesias escritas pelas alunas, que está em negociação com a Editora Giostri, especializada na edição de autores nacionais.

Por Liane Dani | Jornalista IFSC

Faça um comentário!