Servidores participam de oficina de mapeamento de competências

29. setembro 2017 | Escrito por | Categoria: Cotidiano, Gestão, Matérias, Vida de Servidor

Um grupo de 84 servidores da Reitoria e dos câmpus participou entre 20 e 22 de setembro da primeira etapa da oficina mapeamento de competências, organizada pela Coordenadoria de Capacitação da Diretoria de Gestão de Pessoas (DGP) e ministrada por pesquisadores do Laboratório de Gestão do Comportamento Organizacional (Gestcom), da Universidade Federal do Pará (UFPA). O objetivo do encontro, realizado no auditório da Reitoria, foi definir as principais competências necessárias para servidores atuarem em diversas áreas do IFSC.

mapeamento_competencias_ifsc_gestcomDivididos em grupos, os servidores mapearam e descreveram competências das áreas em que atuam, seguindo metodologia elaborada pelo Gestcom. Depois, as competências mapeadas foram inseridas em um sistema online do laboratório paraense. As informações serão usadas para elaboração de um questionário de necessidades de capacitação por competências.

Todos os servidores vão receber por e-mail o link de acesso ao questionário, no qual vão apontar a necessidade de capacitação para as competências mapeadas para o seu setor de lotação. As chefias também avaliarão as necessidades de capacitação dos seus subordinados. Ao final do questionário, os servidores poderão apontar e descrever competências que ainda não foram mapeadas para sua unidade.

O mapeamento das competências dos servidores é uma das iniciativas previstas no Planejamento Estratégico do IFSC. O objetivo é “promover o desenvolvimento dos servidores e captar as competências necessárias para execução da estratégia”, como diz o texto do planejamento. Ao mesmo tempo, o mapeamento é também uma obrigação, já que o acórdão 3023/2013 do Tribunal de Contas da União (TCU) diz que os órgãos públicos devem “fundamentar os processos de recrutamento e seleção (internos e externos) em perfis de competências, inclusive os relativos a cargos/funções de livre provimento de natureza técnica ou gerencial, e assegurarem concorrência e transparência nos processos”.

“A adoção de tal modelo possibilita que a instituição tenha clareza do que cada servidor lotado em cada área precisa saber fazer para que ele contribua para o alcance dos objetivos da mesma”, explica a psicóloga Danielle Christiane Tiefensee Cascaes, da Coordenadoria de Capacitação.

A próxima oficina de mapeamento será realizada entre os dias 23 e 25 de outubro, também na Reitoria. Nesses dias, serão feitas análise das sugestões de competências que os servidores fizeram nos questionários e do grau de lacuna das competências mapeadas e será feito o esboço de trilhas de aprendizagem para desenvolver as competências com maior grau de lacuna. “Com base nas competências que apresentaram maior grau de lacuna, será elaborado o Plano Anual de Capacitação de 2018”, conta Danielle.

Faça um comentário!