Educação de jovens e adultos terá PPC de referência

7. abril 2015 | Escrito por | Categoria: Cotidiano, Matérias

SONY DSCCriar um PPC de referência para a oferta de educação a jovens e adultos é o objetivo da Comissão de Integração dos Programas Sociais do IFSC – CIPS. O último encontro da Comissão foi realizado dias 31 de março e 1º de abril, na Reitoria, com o objetivo de definir as diretrizes do documento.

Também participaram representantes dos câmpus de Jaraguá do Sul, Itajaí, Garopaba e Florianópolis – Continente, que desenvolvem projetos-piloto de sucesso nos programas como Proeja, Certific e Mulheres Mil.

Segundo a coordenadora do Proeja no IFSC, Elenita Eliete de Lima Ramos, o objetivo do PPC é ser um documento de referência para a oferta dos cursos nos diferentes câmpus. “Não é um modelo fechado, mas o documento vai servir como ponto de partida para reflexões, de acordo com a realidade distinta de cada região, tipo de curso e características dos trabalhadores”, explica. A formação será ofertada pelo Cerfead, sendo promovida pela CIPS e os quatro câmpus que desenvolveram projetos-piloto.

A Lei 11.892/2008 trata da ampliação dos compromissos com a inclusão social, especialmente no que se refere ao acesso, permanência e êxito de grupos pouco escolarizados excluídos de práticas educativas institucionalizadas. Entre as determinações está a oferta de pelo menos 10% das vagas dos institutos federais para educação de jovens e adultos, sendo que o IFSC ainda não atingiu este percentual.

A CIPS é formada pelas coordenações de do Proeja, Coordenação de Reconhecimento de Saberes no âmbito da Rede Nacional de Certificação Profissional (Certific), Coordenação do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) e a Coordenação do Programa Mulheres Mil. “A Comissão tem como principal objetivo repensar a oferta educativa para trabalhadores com trajetória escolar descontínua, uma vez que há uma década estes sujeitos estão na pauta do IFSC, ficando, no entanto, mais no nível da formação de professores e do debate, que efetivamente na oferta e ampliação de vagas”, afirma Elenita.

Projeto-piloto no Câmpus Itajaí

O Câmpus Itajaí implantou um projeto-piloto de Proeja em parceria com a Prefeitura Municipal de Penha para oferecer a complementação dos estudos de Ensino Fundamental e o curso de Pescador Profissional a pescadores artesanais do município. Professores da Prefeitura ministram as disciplinas propedêuticas e os professores do IFSC, as profissionalizantes.

A articuladora do Proeja no Câmpus Itajaí, Renata Costella Acauan, explica que, quando o Câmpus criou o curso de Pescador Profissional, certificado pela Marinha, percebeu-se que cerca de 70% dos alunos não haviam completado o Ensino Fundamental, o que motivou a criação da primeira turma de Proeja em Pescador Profissional. “Para que o profissional possa progredir e fazer o curso seguinte, que é o de Pescador Especializado, ele precisa ter concluído o Ensino Fundamental”, explica Renata.

Outras turmas serão ofertadas em parceria com a prefeitura de Penha, que já solicitou a criação de novos cursos Proeja. O desafio agora, segundo Renata, é oferecer qualificação para os profissionais da pesca industrial, que trabalham embarcados e não podem frequentar as aulas de segunda a quinta-feira.

 

Tags: ,

Faça um comentário!