Egressos do IFSC ajudam a formar novos profissionais no Câmpus Criciúma

29. abril 2016 | Escrito por | Categoria: Câmpus Criciúma, Cotidiano, Matérias

tecnicos ifsc2Do IFSC para o IFSC. A busca por uma formação profissional de qualidade os atraiu para os cursos técnicos do IFSC. Aprovados em concursos públicos, hoje auxiliam na formação de novos profissionais.

Márcio, Lucas, Daniel e Lucas atuam como técnicos de laboratório do Campus Criciúma, auxiliando na formação dos estudantes das áreas de Mecatrônica, Eletrotécnica e Edificações. Egressos dos cursos técnicos do IFSC, os quatro servidores têm outra coisa em comum: o orgulho em terem estudado e hoje trabalharem na instituição.

Ao deixar o município gaúcho de Santa Cruz do Sul para trabalhar na indústria em Criciúma, Márcio Adams, 40 anos, viu no Instituto Federal de Santa Catarina uma oportunidade de aperfeiçoamento na profissão. Concluiu o curso Técnico em Eletrotécnica em 2012. No seguinte, se inscreveu no concurso público para técnico do Laboratório de Mecatrônica do Câmpus Criciúma. É servidor do IFSC há três anos.

No mesmo concurso também foi aprovado Lucas Fernandes, 26, técnico de laboratório em Edificações. “Fui o primeiro colocado entre 180 candidatos”, diz com orgulho. Natural do município vizinho de Içara, Lucas trabalhava em uma fábrica de pisos e azulejos e procurou o IFSC para tentar se inscrever em um curso FIC (Formação Inicial e Continuada) em sua área de atuação. As inscrições já haviam se encerrado, mas foi convencido a cursar o Técnico em Edificações. Concluiu o curso em 2013 e imediatamente foi aprovado no concurso do IFSC.

Para Lucas, estudar no IFSC é garantia de uma formação de qualidade, qual seja o futuro profissional almejado pelo estudante. “O aluno certificado pelo IFSC sai com um reconhecimento muito grande do mercado de trabalho, pelo ensino de qualidade que uma instituição federal oferece”, afirma o servidor, que além do trabalho no laboratório ainda atua no Colegiado do Câmpus, no Conselho Superior do IFSC e coordena a campanha de ingresso.

Daniel Behenck, 32, conheceu o IFSC no caminho para o trabalho em Araranguá, onde vive desde os 13 anos, ainda quando o Câmpus estava em construção. Trabalhando na indústria metal-mecânica, buscou a instituição para qualificar sua atuação profissional. “Trabalhava na área elétrica da indústria e entendi que precisava de uma qualificação na área mecânica, já que o trabalho exigia”, relata. É servidor do IFSC desde 2014, atuando no Laboratório de Eletrotécnica.

O mais novo entre todos é Lucas Ranakovski. Aos 19 anos, formou-se em dezembro do ano passado no curso Técnico Integrado em Edificações e imediatamente foi aprovado no último concurso do IFSC. “A maioria das pessoas da minha idade não pensa em fazer concurso. Mas saí preparado do IFSC e passei”, afirma Lucas, para quem a qualidade do ensino no IFSC também foi o diferencial para o sucesso no concurso. “A formação aqui é muito boa, tanto no curso técnico quando no ensino médio”, diz. No segundo ano do curso, fez a prova do Enem e passou em Engenharia Civil em duas universidades. Aprovado no concurso para Técnico de Laboratório em Edificações, Lucas aprofunda vislumbra uma carreira na área, cursando a graduação em Arquitetura em uma universidade de Criciúma.

Os cursos técnicos do IFSC estão com inscrições abertas até o dia 23 de maio. No Câmpus Criciúma, são oferecidas 36 vagas no cursos Técnico subsequente em Edificações e outras 36 vagas no curso Técnico subsequente em Eletrotécnica. Os cursos são noturnos e voltados a quem já concluiu o Ensino Médio.

Tags:

Faça um comentário!