Papel dos jovens na cidade e nas escolas é tema de debate

11. maio 2016 | Escrito por | Categoria: Câmpus Jaraguá do Sul-Centro, Eventos, Matérias

Como os jovens se manifestam nos espaços urbanos? Qual a sua participação nas políticas públicas? E como as escolas envolvem os estudantes nas decisões locais? Esses foram alguns dos temas que surgiram no debate realizado no último sábado (7), no Câmpus Jaraguá do Sul, durante o lançamento do livro Jovens, Política(s) e Cidade(s): diálogos da urbe e suas (im)possibilidades, escrito pela pesquisadora Josiele Bené Lahorgue. O evento ocorreu no auditório do câmpus e contou com a participação da comunidade, estudantes, servidores e representantes de movimentos sociais.

lancamento_livro_jaragua O livro lançado no IFSC é resultado da pesquisa de mestrado da autora, realizada com os jovens de Jaraguá do Sul de maio a junho de 2013. “Desde 2013, quando essa pesquisa se realizou, até os dias atuais, muitas são as formas que os jovens têm encontrado de reivindicarem seus espaços nas urbes. Reivindicações que escapam às lógicas tradicionais de pensar a política e que engendram outras possibilidades de compreendê-la e vivenciá-la. Os jovens continuam resistindo para conseguirem existir nas cidades. Resistem na existência e existem na resistência”, destaca Josiele.

Para a autora, existem muitos jovens em Jaraguá do Sul que participam politicamente da cidade e que precisam ser envolvidos na elaboração das políticas públicas locais. “São esses jovens que sabem o que eles precisam e por isso devem ser ouvidos. Eles existem na cidade e, dessa forma, resistem àquilo que não consideram que foi feito para eles, que acham que deveria ser diferente”, afirma.

lancamento_livro_jaragua2Segundo Josiele, a escola também aparece como um espaço de disputa em que os estudantes precisam ganhar mais espaço. “Percebi a preocupação dos jovens com a qualidade da educação e também o movimento que parte deles já está buscando de criar uma articulação entre as escolas, inclusive com uma organização local estudantil. Eles estão, inclusive, buscando vencer a resistência de algumas direções escolares que não dão direito ao jovem de opinar sobre a escola”, relata.

A escolha do Câmpus Jaraguá do Sul como local de lançamento do livro esteve relacionada à participação dos estudantes da instituição em movimentos sociais e políticos. “O IFSC tem se mostrado como um espaço de resistências dos jovens em Jaraguá do Sul. Muitos movimentos de jovens têm surgido e se manifestado a partir desse espaço. Por este motivo, trouxemos os jovens do IFSC para debaterem como estão os movimentos de resistência locais”, conta.

A obra

Segundo a autora, o livro mostra as vivências das cidades pelos jovens e a forma como se apropriam e ressignificam os espaços públicos. “E, a partir desta relação que estabelecem com a cidade, é discutida a forma como esses jovens têm pensado a política, de que forma vêm se posicionando politicamente e como caracterizam esse conceito”, explica.

O livro foi publicado por meio de um projeto realizado com apoio do Estado de Santa Catarina, da Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte, da Fundação Catarinense de Cultura, do Funcultural e do Edital Elisabete Anderle.

Documentário

Durante a programação do lançamento do livro foi exibido o documentário “(Im)Possibilidades: circuitos dos jovens em Jaraguá do Sul”, produzido e dirigido também por Josiele e que retrata o envolvimento dos jovens principalmente com os espaços da “meia lua” (ao lado da antiga estação ferroviária da cidade) e da praça Ângelo Piazera.

Faça um comentário!