JIFSC: uma homenagem a quem fez o evento acontecer

1. julho 2016 | Escrito por | Categoria: Cotidiano, Eventos, Matérias, Vida de Servidor

Esporte é lazer, é saúde. Esporte também é envolvimento, emoção e união. Quem participou da 5ª edição dos Jogos do Instituto Federal de Santa Catarina (JIFSC), em Chapecó, deve ter sentido um, dois ou até todos os sentimentos descritos acima. De repente, até mais.

Todos-organizaçãoA vontade e o sentimento fizeram o JIFSC envolver diretamente em torno de 120 servidores, incluindo eu, jornalista da região Oeste, convidada a participar da equipe de comunicação e divulgação dos Jogos. Teve servidor que ficou responsável por sua delegação; teve servidor que fez parte da comissão organizadora, ajudou a pensar e realizar o evento, e ainda atuou como treinador nos esportes mais variados; teve servidor que queria vibrar, mas tentava se conter; teve servidor que não conseguia se segurar e também teve servidor que simplesmente queria torcer!

Existem reclamações? Claro! Existem críticas? Claro! Mas o esporte costuma causar (ou deveria causar) um sentimento “bom” na gente, de sair da frente do computador, da sala de aula, dos livros, da rotina… para nos envolvermos, torcermos e nos unirmos.

Com envolvimento, união e torcida: deu certo! Mas para este fim, existiram “os meios”. E alguns destes meios valem a pena ser contados aqui. Inicia agora uma homenagem (já vamos deixar claro: com clichês e brincadeiras) para os bastidores.

O começo pontual

Eram três da tarde de quarta-feira, 22 de junho de 2016. Tudo pronto para a abertura da 5ª edição dos Jogos do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC). Mas, como a internet nos ensinou a brincar: só que não (#sqn). A expectativa era que toda a organização estivesse pronta exatamente às 15h, mas a realidade não foi bem assim.

Heitor, Bernardo e FelippeHeitor Éckeli, chefe do Departamento de Marketing e Jornalismo e responsável pela IFSCTV, tentava manter o sorriso no rosto em meio ao atraso. Foi incrível: ele conseguia sorrir para todas as pessoas por quem passava, por mais preocupado que estivesse. E, claro, ele sorria e ao mesmo tempo puxava cabos e apertava botões. Sorria, puxava cabos e apertava botões…

Fiquei sabendo depois que essa sequência começou umas 24 horas antes com a ajuda de seus fiéis escudeiros da TV: Bernardo Gomes, Felippe Richardt, servidores, e Camila Joras, bolsista. Alguns demonstravam mais preocupação, outros menos. Alguns sorriam mais, outros menos. Mas todos tinham uma função em comum: puxar cabos e apertar botões.

Não entendam errado (1). Puxar cabos e apertar botões significa, em resumo, colocar a IFSCTV ao vivo para transmitir a abertura e os jogos que aconteceriam nos quatro dias seguintes. E fazer isso a 600 quilômetros da “sua casa” não é uma tarefa simples.

BernardoIFSCTVBem pelo contrário: tem que puxar muito cabo, apertar muitos botões e para isso: pensar, repensar, organizar e reorganizar a estrutura dezenas de vezes.

Mas, calma! A Nadia Garlet, coordenadora de Eventos, e o Felipe Cintra, diretor de Comunicação, tinham um plano: “vamos adiantar as apresentações culturais e deixar música tocando até a IFSC TV conseguir entrar no ar”, decidiram.

Neste momento, Janaína Zanchin (psicóloga da Pró-Reitoria de Ensino, a Proen), Milene Martins (técnica em assuntos educacionais da Proen), Danielle Platen (estagiária da Pró-Reitoria de Extensão e Relações Externas, a Proex), Isabella Ramos (assistente em administração da Proex) e a Girlane Bondan (diretora de Assuntos Estudantis), todas integrantes da organização, devem ter ficado aliviadas. Mesmo parecendo supercalmas e (com certeza) torcendo para o evento ser pontual, uma horinha a mais para deixar tudo ainda mais organizado pode (lá no fundinho) despertar um certo alívio.

A Jana e a Milene tinham delegações para organizar e treinar para a entrada no ginásio (afinal, cada câmpus chegou em horários diferentes ao local dos jogos e alguns bem em cima da hora); a Dani e a Isa tinham tabelas de jogos para arrumar e imprimir…

Não entendam errado (2). A organização de um JIFSC inicia quando o último termina. Mas, o número de participantes aumenta (e muito) a cada edição. Consequentemente, cresce o número de jogos, tabelas, espaço para as competições, hospedagem, alimentação, sugestões e reclamações. E, por mais organizado que o evento esteja, no momento do “vamos ver” aparecem as surpresas.

E, foi assim… uma hora depois, o JIFSC começou.

Agora sim, começou!

Rafael_Felipe_narracaoFoi aí que, totalmente ao acaso, iniciaram os bordões mais famosos e divertidos do JIFSC. Felipe Cintra cravou um “que comecem os jogos” muito enigmático e o Felipe Silva (jornalista da Reitoria) e o Rafael Passos (jornalista responsável pela Região Serrana) transformaram-se nos narradores oficiais da IFSC TV.

Um passarinho me contou (não podia perder a oportunidade de deixar meu bordão também) que eles já estão convocados para narrar todos os próximos eventos do IFSC, apenas até a eternidade (rs).

Aos poucos esse pessoal todo da organização começou a se conhecer, a se soltar e a confiar. A “Sala do Jifsc” foi criada no WhatsApp e logo em seguida a Girlane Bondan digita do nada: “Tô achando a banana verde”. Alguns emojis apreensivos depois e Girlane responde: “Comi a banana, está comível”.

Não dê risada (rs). A Girlane estava preocupada com a banana que seria servida aos alunos na hora do lanche. Até serviu de cobaia, comendo a banana, para garantir que não haveria reclamações.

Perto do fim

Aos poucos, tudo foi se encaixando e as reclamações eram recebidas e administradas na maior paz. E não estou exagerando quando escrevo isso. Esse povo da organização tem “feeling” pro negócio.

Mas como ninguém é de ferro (Felipe Silva e Rafael, permitam-me usar minha cota de clichês também), o cansaço estava pegando. Mais em uns do que em outros.

Nadia e Felipe CintraNadia olha para o Felipe e fala: “Tu tá lento hoje, Felipe”. Felipe Cintra: “Eu não posso estar lento?”. Nadia: “Não, não consigo trabalhar com pessoas lentas”. Os dois caem no riso, Felipe “pega no tranco” e eles continuam o trabalho…

Na sexta-feira à noite, após muito trabalho, teve premiação e os alunos dos cursos integrados foram embora. No sábado cedo, toda a organização estava lá para começar tudo de novo. Desta vez, para os cursos gerais.

E foi assim, com muito envolvimento, emoção e união, que o 5º JIFSC aconteceu!

Por Rafaela Menin / Jornalista IFSC

Faça um comentário!