Relatório de Gestão mostra indicadores do IFSC em 2013

29. abril 2014 | Escrito por | Categoria: Câmpus Araranguá, Câmpus Caçador, Câmpus Canoinhas, Câmpus Chapecó, Câmpus Criciúma, Câmpus Florianópolis, Câmpus Florianópolis-Continente, Câmpus Garopaba, Câmpus Gaspar, Câmpus Itajaí, Câmpus Jaraguá do Sul-Centro, Câmpus Jaraguá do Sul-Rau, Câmpus Joinville, Câmpus Lages, Câmpus Palhoça Bilíngue, Câmpus São Carlos, Câmpus São José, Câmpus São Miguel do Oeste, Câmpus Tubarão, Câmpus Urupema, Campus Xanxerê, Gestão, Matérias, Reitoria

predio_reitoriaA cada ano, o Institutos Federais devem informar ao Tribunal de Contas da União (TCU) indicadores que compõem seu Relatório de Gestão, com dados acadêmicos, administrativos, socioeconômicos e de gestão de pessoas. O Relatório de Gestão 2013 do IFSC, enviado pela instituição ao TCU no fim de março, mostra, em números, um panorama da instituição no ano passado, com os pontos em que ela evoluiu ou não na comparação com o ano anterior.

Os indicadores que os Institutos Federais devem enviar ao TCU foram definidos no Acórdão 2.267/2005. Dados acadêmicos e administrativos são fornecidos pela Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação (Setec), extraídos do Sistema Nacional de Informações da Educação Profissional e Tecnológica (Sistec), do Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal (Siafi) e Sistema Integrado de Administração de Recursos Humanos do Governo Federal (Siape). Já os dados socioeconômicos e de gestão de pessoas foram obtidos internamente no IFSC.

Os dados referem-se ao período de 1 de janeiro a 31 de dezembro de 2013. “O relatório mostra o que aconteceu no ano passado e deve ser visto como um instrumento de gestão. Ele nos dá a oportunidade de melhorar, ver onde estão nossos gargalos e o que estamos fazendo de bom”, comenta a diretora de Gestão do Conhecimento, Silvana Ferreira Pinheiro e Silva. A Diretoria de Gestão do Conhecimento (DGC) é a responsável por organizar o relatório.

Silvana explica que, por mudanças na metodologia de cálculo e de extração de dados por parte da Setec, a comparação dos dados com anos anteriores a 2012 fica prejudicada. Por isso, as análises são feitas na comparação somente com o ano de 2012.

O documento completo, com mais indicadores sobre o funcionamento do IFSC em 2013, será publicado em breve no site institucional.

Indicadores acadêmicos

Todos os indicadores acadêmicos têm relação com os estudantes da instituição e dividem-se em seis tipos. A relação candidato/vaga leva em conta todos os processos de ingresso do IFSC, dividindo o número de inscritos pelo total de vagas oferecidas. O valor ficou em 3,25 candidatos por vaga, maior que o ano anterior (2,36).

A relação ingresso/aluno mostra o percentual de estudantes ingressantes na instituição em relação ao total de alunos. Em 2013, o índice ficou em 40,86%, contra 46,9% do ano anterior.

A relação concluintes/aluno, por sua vez, relaciona o total de concluintes com o total de alunos. Foi de 23,89% em 2013, um aumento em relação ao ano anterior (16,8%).

O índice de eficiência acadêmica foi de 53,47%: esse é o percentual de alunos que integralizaram a carga horária nos cursos cujo encerramento era previsto nesse período. Em 2012, esse índice foi de 46,4%.

O índice de retenção do fluxo escolar é obtido com a relação entre o número de alunos retidos pelo total de alunos matriculados. O valor foi de 35,74% em 2013, menor que o do ano anterior (40%).

Já o cálculo do indicador de alunos por docente em tempo integral é feito pela relação do total de alunos pelo denominador “docente em tempo integral”, que considera o professor pela carga horária em sala de aula (regimes de 20 ou 40 horas e de dedicação exclusiva), sem considerar os professores substitutos. Em 2013, essa relação no IFSC foi de 30,31 alunos por docente em tempo integral. No ano anterior, havia sido de 31,15 alunos por docente em tempo integral.

Indicadores administrativos

Os indicadores administrativos dizem respeito a quatro categorias de gastos do IFSC. Os gastos correntes por aluno mostram o investimento feito pela instituição a cada estudante matriculados. São considerados os gastos correntes, descontadas as despesas com investimentos, inversões financeiras, servidores inativos, pensionistas e bolsa-formação. O valor referente a 2013 ficou em R$ 8.173,25 por aluno, valor acima do ano anterior, que foi de R$ 7.204,07.

O percentual de gastos com pessoal identifica o quanto da despesa geral do IFSC é destinado à folha de pagamento. Em 2013, aproximadamente dois terços da despesa da instituição foi com a folha de pagamento: 66,27%. Nesse caso, também houve aumento em relação a 2012, quando o percentual foi de 64,9%.

Quanto o IFSC faz de investimento e inversões financeiras em relação a sua despesa total é o cálculo feito pelo indicador percentual de gastos com investimentos em relação aos gastos totais. Em 2013, o percentual foi de 13,05%. Em 2012, havia sido de 14,31%.

Por fim, o percentual de gastos com outros custeios desconta as despesas com pessoal, investimentos, inversões financeiras, benefícios, Programa de Integração Social (PIS), Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep) e Bolsa Formação. Esse índice foi de 16,63% no ano passado. Em 2012, havia sido de 17,12%.

Indicadores de Gestão de Pessoas

Apenas um índice compõe o grupo de indicadores de gestão de pessoas: o índice de titulação do corpo docente, que aborda o nível de qualificação dos professores da instituição, excluindo os substitutos. São considerados todos os níveis de titulação (graduação, aperfeiçoamento, especialização, mestrado e doutorado). O indicador do IFSC em 2013 foi 3,8, superior ao de 2012, que havia ficado em 3,69, numa escala em que o máximo é 5 (numa situação hipotética em que todos os professores tivessem doutorado).

Indicadores Socioeconômicos

Os indicadores socioeconômicos também são compostos por apenas um índice: o número de alunos matriculados classificados de acordo com a renda per capita familiar. Os percentuais foram obtidos por meio de um questionário aplicado durante o processo de autoavaliação institucional conduzido pela Comissão Própria de Avaliação (CPA) e respondido por 3.661 estudantes. A renda familiar média per capita dos alunos do IFSC ficou em R$ 1.260 e a renda familiar total média foi de R$ 3.630. No entanto, 50% dos estudantes pesquisados pertencem a famílias cuja renda média era de R$ 800 ou inferior.

Tags: ,

Faça um comentário!