Professora de química do Câmpus Joinville participa de programa de capacitação na Finlândia

18. abril 2016 | Escrito por | Categoria: Câmpus Joinville, Cotidiano, Matérias

lukese 5Autora de um projeto voltado para a implantação de um laboratório de química de forma sustentável, a professora do Câmpus Joinville, Lukese Menegussi (em primeiro plano, na foto), é uma das selecionadas do programa Professores para o Futuro, na Finlândia. Lá, ela espera conhecer o modelo de excelência na formação tecnológica e na educação como um todo, além das experiências específicas na sua área. “A Finlândia é referência em educação e sustentabilidade”, ressalta a professora de Química.

As aulas na Tampere University of Applied Sciences (TAMK), em Tampere, com o novo grupo de professores selecionados na Chamada Pública CNPq – SETEC/MEC Nº 026/2015, tiveram início nesta segunda-feira (4). Durante três meses, os professores da rede federal brasileira vão conhecer o sistema educacional finlandês, com destaque para a aprendizagem baseada em projetos, aprendizagem baseada em problemas, pedagogia integradora, abordagem centrada no estudante, construção colaborativa do conhecimento, avaliação, aprendizagem eletrônica (e-Learning) e educação empreendedora.

A partir destas observações e pesquisas realizadas nos dois primeiros meses do programa, é que a professora Lukese vai poder desenvolver seu projeto, assessorado por um orientador finlandês. “Quero conhecer como eles ministram as aulas de química e como fazem a abordagem dos experimentos para podermos aplicar no IFSC métodos de experimentação que tenham menos riscos, gastos e danos ao meio ambiente”, explica.

lukese 1Seu objetivo é ver como é feita a abordagem de química em relação ao cotidiano, em que momentos o laboratório é realmente necessário, quais simulações podem ser feitas no computador e quais produtos tóxicos podem ser substituídos ou reduzidos. O planejamento do laboratório de química no Câmpus Joinville terá sequência já no Brasil, no segundo semestre, com acompanhamento a distância pelos instrutores finlandeses.

Integração

Na Finlândia, o ensino superior tem papel significativo na sociedade e no sistema nacional de inovação. O país conta ainda com um modelo de educação técnica que absorve cerca de 80% dos estudantes. No ensino médio, mais de 40% dos alunos optam pela modalidade integrada à educação profissional.

Os diplomas, tanto do ensino médio regular quanto do integrado à educação profissional, dão acesso a instituições de ensino superior. A formação dos professores baseia-se em pesquisa, com exigência de dissertação de mestrado. Além disso, há cursos sobre prática didática e pelo menos um ano de estágio docente em escola municipal ou de aplicação.

Os professores brasileiros selecionados tiveram de comprovar que são efetivos do quadro permanente dos institutos federais, ter o currículo Lattes atualizado e proficiência em inglês. Lukese foi a única professora de Santa Catarina e a única da disciplina de química do Brasil selecionada para esta edição do programa Professores do Futuro.

Tags:

Faça um comentário!