Curso do Câmpus São Miguel do Oeste é premiado pelo Ministério da Educação

27. maio 2016 | Escrito por | Categoria: Câmpus São Miguel do Oeste, Cotidiano, Matérias

O curso de Formação Inicial e Continuada (FIC) de Técnicas em Agricultura Familiar, oferecido pelo Câmpus São Miguel do Oeste do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC), foi premiado com a Medalha Paulo Freire do Ministério da Educação (MEC).

O curso concorreu com ideias de todo o Brasil no ano de 2015. O objetivo da medalha é de identificar, reconhecer e estimular as experiências educacionais que promovam projetos relevantes para a Educação de Jovens e Adultos (EJA) em todo o país.

O atual coordenador do curso, Douglas Antonio Rogeri, conta que o IFSC trabalhou em parceria com a Prefeitura de São Miguel do Oeste, desenvolvendo o trabalho com três turmas de agricultores em duas comunidades, na Linha Dois Irmãos e Canela Gaúcha.

As aulas tiveram início em março de 2011 e estenderam-se até março de 2014, com duas turmas iniciais. Além dessas, houve uma terceira que cursou as atividades entre março de 2012 e dezembro de 2015.

Durante esse período, os professores foram até as duas linhas para ministrar as aulas com o propósito de formar os agricultores no Ensino Fundamental e no Técnico em Agricultura Familiar.

Quem se alimenta das saladas e do milho, da soja e do feijão produzidos pelo agricultor João Pedro de Moura, deve ter notado a diferença. Na propriedade dele, todas as técnicas ensinadas no curso para a produção orgânica foram aplicadas. “Nós não conhecíamos muitas técnicas, aprendemos, aplicamos e deu tudo certo”, conta De Moura.

Outro grande benefício para o agricultor familiar foi aprender disciplinas básicas, como português e matemática. “Nós não tínhamos muito controle em relação ao que entrava e saía da propriedade. Agora conseguimos ter um controle maior”, detalha.

As etapas do prêmio

Com o curso implantado nas comunidades, a professora da rede municipal Maria Helena Mosquen aproveitou para relatar, no seu trabalho de conclusão de Pós-Graduação em Educação de Jovens e Adultos, a experiência que realizava no IFSC, em São Miguel do Oeste.

Com a ajuda do orientador Giancarlo Moser, Maria Helena redigiu um artigo para detalhar o curso e o inscreveu no prêmio. “Escrevi o artigo para mostrar que o Proeja – FIC é uma política pública que transforma o campo, empodera e emancipa os sujeitos sociais. A medalha é o reconhecimento da diferença que o IFSC faz para a nossa região e proporciona a divulgação de nossa  experiência para o Brasil”, ressalta a professora.

Na primeira avaliação, o curso ficou entre os dez finalistas em nível nacional. Na sequência, os avaliadores do MEC visitaram o câmpus e as comunidades nas quais o técnico foi realizado e verificaram na prática a experiência dos agricultores. A visita ocorreu nos dias 14 e 15 de março deste ano.

No final de abril, o resultado final foi divulgado através de uma Portaria do MEC e o prêmio tornou-se a principal homenagem recebida pelo IFSC Câmpus São Miguel do Oeste.

“Já estávamos felizes com o trabalho executado a partir dos relatos dos estudantes e pela baixa evasão. Mas é claro que o reconhecimento em nível nacional nos dá maior entusiasmo em continuar com esse projeto, que permite às pessoas que durante muito tempo estavam longe dos bancos escolares que possam voltar a estudar e se encantar com isso”, relata o diretor geral do Câmpus São Miguel do Oeste, Diego Martins.

Faça um comentário!