Servidores e estudantes debatem saúde mental em Jaraguá do Sul

1. junho 2016 | Escrito por | Categoria: Câmpus Jaraguá do Sul-Centro, Câmpus Jaraguá do Sul-Rau, Eventos, Matérias

O que são transtornos mentais? As pessoas com esses transtornos são violentas? E quais são os locais indicados para tratamento, acompanhamento e suporte familiar relacionados a doenças mentais e uso de drogas em Jaraguá do Sul? Essas foram algumas das questões que surgiram durante a palestra sobre saúde mental realizada na última quarta-feira (25) no Câmpus Geraldo Werninghaus e que contou com a presença de estudantes e servidores dos dois câmpus do IFSC no município. A atividade foi organizada pelo coordenador do Núcleo de Atendimento a Pessoas com Necessidades Específicas (Napne) do Câmpus Geraldo Werninghaus, Afonso Vieira.

jgw_palestra_saudemental_napnePara conduzir o debate e conversar com os participantes do evento foi convidada a coordenadora da rede de atenção psicossocial de Jaraguá do Sul, Denise Thum. “O espaço de discussão aberto pelo IFSC é muito importante para levar informações de qualidade a mais pessoas, pois ainda existe muito preconceito e desinformação quando o assunto se fala de transtornos mentais”, afirma.

Segundo Denise, um dos maiores equívocos relacionados ao assunto é a associação direta feita por parte das pessoas entre transtorno mental e violência. “Muita gente acha que quem tem transtornos como esquizofrenia, transtorno bipolar ou outras doenças mentais é, necessariamente, violento e perigoso. Mas apenas 1% dos homicídios é praticado por pessoas com transtornos mentais. Os outros 99% são praticados por aqueles considerados ‘normais’”, destaca.

Porém, quem é diagnosticado com transtornos mentais precisa, sim, de tratamento e acompanhamento médico. “Em Jaraguá do Sul temos as unidades dos Centros de Atenção Psicossocial [CAPS] que contam com equipes multiprofissionais e devem ser referência no atendimento a pessoas com transtornos mentais e uso abusivo de álcool e outras drogas. É importante que os servidores do IFSC saibam disso para que possam lidar da melhor maneira com possíveis casos que apareçam inclusive dentro da instituição”, explica a coordenadora.

Luta antimanicomial

A realização da palestra sobre saúde mental no Câmpus Geraldo Werninghaus fez parte das atividades ligadas ao Dia Nacional de Luta Antimanicomial, que ocorreu em 18 de maio. Os objetivos da luta antimanicomial são a melhoria das condições da saúde mental no Brasil e o fim da exclusão social das pessoas com transtornos mentais.

Faça um comentário!