Projeto traz alunos de escolas públicas para oficinas de introdução à Eletrônica

10. junho 2016 | Escrito por | Categoria: Câmpus Florianópolis, Cotidiano, Matérias

O projeto de extensão “Eletrônica: do Silício à Música”, desenvolvido por professores do Departamento Acadêmico de Eletrônica, está trazendo turmas de oitava e nona série de escolas públicas de Florianópolis para oficinas de introdução à Eletrônica. De forma interativa, os estudantes são apresentados a princípios da área e fazem sua relação com objetos do dia a dia.

No dia 3 de junho, o projeto recebeu alunos da escola estadual Ildefonso Linhares, do bairro Carianos. Ao chegarem no Câmpus Florianópolis, as turmas foram divididas em três: cada uma participa de uma oficina e depois se alternam. Numa das salas, os alunos são apresentados a uma “pianola” eletrônica. A oficina foi dada pelo professor Fernando Pacheco, que mostrou como a música é resultado de vibrações e como a diferença nessas vibrações provocam sons diferentes nos instrumentos. “O objetivo desta oficina é criar uma música utilizando um instrumento eletrônico criado pelos próprios alunos do IFSC.

A pianola eletrônica segue os princípios da pianola tradicional, onde um papel perfurado, acionada por pedais, que, de acordo com os furos, faz a máquina tocar determinadas notas musicais”, explica o professor. No caso do aparelho usado no projeto, o instrumento é composto por sensores infravermelhos e os alunos precisam pintar uma grade de notas, que serão “lidas” e interpretadas pela máquina.

Em uma outra sala, uma oficina mais light: os jovens são apresentados aos jogos desenvolvidos por alunos dos cursos de Eletrônica do IFSC. De acordo com o técnico Daniel de Bona, que acompanhava a turma, é um momento de descontração, onde eles podem ter uma noção do que é possível fazer estudando na área, além de se divertirem jogando.

A terceira oficina foi ministrada pelo professor Fernando Miranda. Com equipamentos de solda, os estudantes tinham que montar um chaveiro com luz de led. Débora Lopes Daniel, de 14 anos, aluna da oitava série, se disse surpresa. “Não imaginava que coisas faríamos aqui, estou achando legal.

Já Ygor Gouveia da Costa e William Freitas Pinheiro (foto), também de 14 anos, estavam na expectativa. Ambos gostam da área de eletrônica e ambos pretendem estudar no IFSC em 2018, pois ainda estão no oitavo ano. “Eu fiquei muito animado quando me falaram da oficina, estava louco de vontade de vir”, disse Ygor. Apesar de não saber exatamente qual curso irá fazer no IFSC, William contou que já faz um curso de manutenção de rádio. “Uma amiga minha que me indicou estudar aqui no IFSC, e espero que eu consiga”.

Faça um comentário!