Proen divulga PSAD em Números com dados referentes a 2016

15. fevereiro 2017 | Escrito por | Categoria: Cotidiano, Gestão, Matérias, Vida de Servidor

Está disponível para consulta no Portal do IFSC o PSAD em Números – Distribuição da Carga Horária da Atividade Docente no IFSC relativo a 2016. O PSAD em Números é um resumo estatístico da distribuição da carga horária de todos os professores da instituição, gerado a partir do Plano Semestral de Atividade Docente (PSAD). No material, é possível consultar a carga horária dedicada pelos docentes a atividades de ensino, de pesquisa e extensão, de gestão e representação e de capacitação.

psadOs dados referentes aos dois semestres de 2016 estão detalhados em um único volume. As informações estão organizadas por câmpus (incluindo Cerfead) e também com a média geral da instituição. Os dados estão divididos, ainda, conforme a situação funcional dos professores: todos os docentes; docentes com dedicação exclusiva (DE); docentes com dedicação exclusiva (DE), excluídos casos de afastamentos e ocupantes de cargo de direção (CD); docentes substitutos com 40h; todos os docentes com 20h.

Os números mostram que, desde o primeiro semestre de 2015, a média de horas de aulas ministradas por cada professor do IFSC teve ligeiro aumento, indo de 10,22 horas semanais para 10,44 horas. Já carga horária dedicada a atividades de pesquisa foi de, em média, 1,65 hora semanal e para extensão, 0,95 hora semanal. A comparação com anos anteriores a 2015 fica prejudicada a distribuição da carga horária docente mudou a partir da entrada em vigor da Resolução 23/2014.

Os resultados apresentados foram produzidos com base nos dados obtidos no planejamento das atividades em 2016/1 e 2016/2, informados pelos professores e avaliados por suas chefias. O PSAD em Números considera apenas os planejamentos gravados e não se refere ao que foi executado, mas ao que foi previsto no início do período letivo. Além disso, considera todos os PSADs preenchidos pelos docentes, independentemente de sua aprovação, reprovação ou não avaliação pela chefia – em torno de 0,8% dos planos foram reprovados e 0,8% não foram avaliados, e sua inclusão ou exclusão pouco altera as médias de carga horária. Um levantamento de planejamentos não preenchidos mostrou que, no segundo semestre de 2016, 83 docentes possivelmente não preencheram seus planos (6% em relação ao total de planos preenchidos).

Por Coordenadoria de Jornalismo IFSC

Faça um comentário!