IFSC apresenta Plano de Trabalho para o Pacto Nacional de Educação em Direitos Humanos

22. setembro 2017 | Escrito por | Categoria: Governo Federal, Matérias

O Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) foi uma das primeiras instituições do estado a aderir Pacto Nacional Universitário pela Promoção do Respeito à Diversidade, da Cultura de Paz e dos Direitos Humanos, em junho deste ano. Hoje (19), a instituição encaminhou ao Sistema Integrado de Monitoramento Execução e Controle do Ministério da Educação (MEC) o Plano de Trabalho elaborado coletivamente e que vai nortear as ações do Pacto no âmbito do IFSC.

O Pacto é um Acordo de Cooperação celebrado entre o Ministério da Justiça e Cidadania e o Ministério da Educação (MEC). De acordo com o documento, há a necessidade de que a inserção da Educação em Direitos Humanos na educação superior seja feita de forma transversal e interdisciplinar em todas as esferas institucionais, abrangendo o ensino, a pesquisa, a extensão, a gestão e a convivência universitária e comunitária. O IFSC incluiu o ensino médio técnico (cursos integrados e concomitantes) para os efeitos do documento.

Ao aderir ao Pacto, o IFSC se comprometeu a promover ações que contribuam para a promoção da igualdade de oportunidades e da equidade, na efetivação da democracia, do desenvolvimento e da justiça social, e na consolidação de uma cultura de paz e não violência, enfrentando os estereótipos de gênero, étnico-racial, religião, origem, idade, situação social, econômica e cultural, orientação sexual e identidade de gênero (LGBT), combatendo a discriminação e a intolerância com grupos em situação de vulnerabilidade, a exemplo de pessoas com deficiência, transtornos e altas habilidades (superdotação), pessoas idosas, população em situação de rua, povos indígenas, quilombolas, ciganos, população ribeirinha, varzanteiros, pescadores, povos e comunidades tradicionais de matrizes africanas, população em privação de liberdade, migrantes e refugiados, dentre outros, bem como promovendo o respeito à diferença e à diversidade.

“É muito importante para o IFSC fazer adesão ao Pacto. Cada vez é mais necessário que as instituições de educação discutam e defendam a igualdade, a diversidade,  a paz, os direitos humanos. Precisamos estar sempre em movimento contra a homofobia, o feminicídio, a desigualdade, o ódio e a exploração de pessoas. Isso é essencial para construirmos um país justo, democrático e para transformarmos a lógica social e cultural do país que vivemos hoje”, comenta a reitora do IFSC, Maria Clara Kaschny Schneider.

O IFSC instituiu o Comitê Gestor do Pacto com 23 servidores nomeados em portaria específica que atuaram na coordenação, fomento e monitoramento do Pacto e na elaboração do Plano de Trabalho entregue hoje. Há uma periodicidade de revisão de no máximo dois anos, em conformidade com os Eixos de Atuação e as Linhas de Ação Prioritárias estabelecidas no Acordo de Cooperação.

“É um passo de suma importância no sentido de promover a cultura da tolerância na instituição. Em tempos como esses que estamos vivendo, em que conquistas históricas e fundamentais estão sendo colocadas em xeque, a assinatura de um pacto desta envergadura compromete o IFSC a ser, de fato e de direito, uma instituição que está intimamente ligada a luta pelo respeito e que abraça o projeto de construção de um país mais digno”, completa Patrícia Rosa, membro do Comitê e coordenadora do GT Singularidades, que atuou na articulação do Plano de Trabalho.

Clique aqui e acesse o plano na íntegra.

Por Coordenadoria de Jornalismo IFSC

Faça um comentário!