DAE adquire mesas e equipamentos para qualificar alimentação escolar nos câmpus

12. março 2020 | Escrito por | Categoria: Câmpus Caçador, Câmpus Canoinhas, Câmpus Criciúma, Câmpus Florianópolis-Continente, Câmpus Garopaba, Câmpus Gaspar, Câmpus Itajaí, Câmpus Jaraguá do Sul-Rau, Câmpus Joinville, Câmpus Palhoça Bilíngue, Câmpus São Carlos, Câmpus São Lourenço do Oeste, Câmpus São Miguel do Oeste, Câmpus Tubarão, Câmpus Urupema, Campus Xanxerê, Matérias

A Diretoria de Assuntos Estudantis (DAE) adquiriu, em 2019, 76 mesas para refeitório para 16 câmpus. Também foram adquiridos equipamentos como micro-ondas, geladeiras, estrados, caixas, utensílios de cozinha, entre outros, com o objetivo de qualificar a oferta da alimentação escolar. A ação faz parte do Programa de Segurança Alimentar do Estudante (Psae), com recursos da Ação Orçamentária 2994 (Assistência Estudantil).

Atualmente, todos os câmpus oferecem alguma modalidade de alimentação escolar, de acordo com a estrutura disponível. A maioria oferta frutas e biscoitos aos estudantes, sendo que apenas o Câmpus Araranguá implantou integralmente o Plano Nacional de Alimentação Escolar (Pnae), com cozinha e oferta de refeições.

A nutricionista da DAE, Karine Andrea Albiero, destaca o esforço das comissões locais de alimentação escolar, que procuram alternativas para melhorar a oferta de alimentos aos alunos. “Há câmpus que oferecem, por exemplo, batata-doce assada, cuca, grostoli, outros alimentos além de biscoitos e frutas. São alimentos de pouca manipulação, devido à pouca estrutura”, explica. Há câmpus que já encaminharam a contratação de merendeiras, como Criciúma e Florianópolis – Centro.

Para 2020, a aquisição de alimentos está garantida, com recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) e contrapartida da Ação Orçamentária 2994. Porém, devido às restrições orçamentárias do Governo Federal, não há previsão de recursos para aquisição de novos equipamentos e mesas.

Cantinas mais saudáveis

Outra ação desenvolvida pela DAE para qualificar a alimentação de estudantes e servidores, é o aprimoramento dos editais de contratação das cantinas, para que sejam oferecidos alimentos de melhor qualidade nutricional e a um preço mais baixo. “Esta ação está alinhada com o PNAE e atende as legislações estadual e municipal, que proíbem a venda de alimentos de baixo valor nutricional em cantinas da educação básica”, explica Karine.

Segundo a nutricionista, como o IFSC não cobra aluguel das cantinas, pode exigir que seja oferecido um cardápio mínimo, dentro das exigências nutricionais. A legislação vale para a educação básica, mas essas medidas acabam beneficiando também os demais estudantes e servidores.

Câmpus que receberam mesas novas e quantidades:

Caçador – 10
Canoinhas – 4
Criciúma – 4
Florianópolis-Continente – 1
Garopaba – 2
Gaspar – 7
Itajaí – 4
Jaraguá do Sul – Rau – 4
Joinville – 5
Palhoça Bilíngue – 3
São Carlos – 10
São Lourenço do Oeste – 10
São Miguel do Oeste – 4
Tubarão – 2
Urupema – 2
Xanxerê – 4

Carla Algeri | Jornalista

Tags: , , ,

Faça um comentário!