IFSC adota Plataforma Orçamentária de Controle e Monitoramento

21. julho 2022 | Escrito por | Categoria: Destaques, Gestão

A partir deste mês, o IFSC passa a utilizar a Plataforma Orçamentária de Controle e Monitoramento (POCM), uma ferramenta para controle do orçamento implantada pela Pró-Reitoria de Administração (Proad). Elaborada por meio de um software de business intelligence, seu objetivo é servir de subsídio para a melhor alocação dos recursos recebidos pela instituição. A POCM é resultado do trabalho de mestrado da servidora Dayane Alves, contadora do IFSC.

Exemplo de dados visualizados na plataforma

Exemplo de dados visualizados na plataforma

A ferramenta possibilita o monitoramento e controle do orçamento e otimiza o tempo das atividades desenvolvidas relacionadas à execução orçamentária. Desenvolvida no software Tableau, a plataforma apresenta diversas informações sobre o orçamento em um só lugar, com acesso fácil, interativo, compreensível e transparente. 

Ao acessar a POCM, o usuário pode navegar pelas seguintes abas: capa, orçamento, consumo, auxílios, permanente, contratos, capacitação, gerais, extra, empenhos, restos a pagar e pré-empenhos. A atualização dos dados deve ser feita diariamente para que a informação seja oportuna e em tempo hábil.

-> Acesse aqui a plataforma

Antes da plataforma ser adotada, o IFSC utilizava o próprio Tesouro Gerencial (sistema do Governo Federal de onde as informações da plataforma extraem a informação), o Sistema Integrado de Administração Financeira (SIAFI) e o portal da transparência do Governo. O pró-reitor de Administração do IFSC, Aloísio da Silva Júnior, destaca que os controles anteriores apresentavam dificuldades no preenchimento das informações. “Alguns são sistemas fechados à sociedade e outros de difícil operacionalidade, portanto, esse controle é uma inovação no IFSC”, complementa.

A plataforma foi elaborada com respaldo na Lei da Responsabilidade Fiscal, que trata da questão da transparência e do acompanhamento da sociedade, em tempo real, de informações pormenorizadas sobre a execução orçamentária e financeira das instituições. A ferramenta também encontra respaldo na Lei nº 12.527/2011, conhecida popularmente como a Lei de Acesso à Informação (LAI), cujo objetivo é assegurar o direito fundamental de acesso à informação. “Ela está em consonância, ainda, com os princípios orçamentários da publicidade e da clareza, os quais pressupõem que o orçamento deve ser amplamente divulgado, assim como demonstrado em linguagem simples, clara e compreensível, acessível a todos que necessitam ou tenham interesse em conhecer”, informa o pró-reitor. 

O Câmpus Florianópolis foi o primeiro a utilizar a plataforma em abril, que agora já está sendo utilizada também pelo Câmpus Jaraguá do Sul-Rau.  Os câmpus São Lourenço do Oeste, Urupema e Xanxerê já iniciaram o processo de padronização dos dados e logo já poderão utilizar a ferramenta. Neste mês, a plataforma passou a ser adotada na Reitoria e suas respectivas Unidades Gestoras Responsáveis (UGR). 

A expectativa da Proad é que, até final de agosto, todos os câmpus já tenham adotado a plataforma. “ Isso nos dará a oportunidade de ajustarmos a execução ao Plano Anual de Trabalho, termos um controle orçamentário com informações corretas e tempestivas, atuarmos com transparência visando que o controle fique exposto para a sociedade atendendo plenamente a LAI e possibilitarmos o acompanhamento da execução – como, por exemplo, o andamento das manutenções e projetos alinhados ao PAT”, destaca o pró-reitor de Administração. 

Sobre o projeto

A plataforma foi o produto resultante do mestrado da servidora do IFSC Dayane Alves. Contadora da instituição desde 2011, ela é lotada na Coordenadoria de Execução Orçamentária e Financeira do Câmpus Florianópolis, onde a plataforma foi implantada primeiro. Desde março deste ano, no entanto, a contadora está atuando na Proa para fazer a implantação da plataforma em todo o IFSC. 

A servidora concluiu o mestrado profissional em Educação Profissional e Tecnológica em Rede Nacional (ProfEPT) em julho de 2020 e, como parte da dissertação, tinha que criar um produto relacionado à EPT. “Ao pensar no produto, logo me direcionei para a área de orçamento, por ter afinidade e adorar controles”, conta. Na época em que teve a ideia, o Câmpus Florianópolis contava com controle de orçamento totalmente por meio de planilhas, com captura de dados de forma manual, morosa e sem periodicidade. Primeiro, Dayane pensou em aprimorar o controle existente para servir de modelo para os outros câmpus. No entanto, conversando com o diretor de Administração do câmpus na época sobre o assunto, ele sugeriu um aplicativo que permitisse verificar as informações orçamentárias em uma reunião, por exemplo.

A contadora gostou da ideia, mas ficou pensando em como poderia desenvolver um aplicativo sem ter conhecimento de TI ou programação. Na sua busca, conheceu o software Tableau. “ Com muito esforço e de forma autodidata, consegui desenvolver a Plataforma Orçamentária, apresentando assim os dados orçamentários de forma compreensível, atualizado e de fácil acesso, sendo compatível com desktop, tablet e smartphone”, destaca.

-> Leia a dissertação da servidora Dayane Alves que resultou na criação da plataforma orçamentária 

A relevância do projeto foi tão grande que, em parceria com o IFSC, a servidora fez o pedido de patente de invenção junto ao INPI em 2021 sobre este método de controle do orçamento. “Estou muito feliz, principalmente por vislumbrar a importância da plataforma não só para o IFSC, como também para a sociedade, pois trabalhamos com recursos públicos e a melhor utilização e alocação desses recursos é um ganho para todos”, conta Dayane. 


Por Marcela Lin | Jornalista do IFSC

Tags: , , ,

Os comenários não estão permitidos.