Conheça o PDI: capítulo 2 traz o Projeto Pedagógico Institucional

13. março 2015 | Escrito por | Categoria: Câmpus Araranguá, Câmpus Caçador, Câmpus Canoinhas, Câmpus Chapecó, Câmpus Criciúma, Câmpus Florianópolis, Câmpus Florianópolis-Continente, Câmpus Garopaba, Câmpus Gaspar, Câmpus Itajaí, Câmpus Jaraguá do Sul-Centro, Câmpus Jaraguá do Sul-Rau, Câmpus Joinville, Câmpus Lages, Câmpus Palhoça Bilíngue, Câmpus São Carlos, Câmpus São José, Câmpus São Lourenço do Oeste, Câmpus São Miguel do Oeste, Câmpus Tubarão, Câmpus Urupema, Campus Xanxerê, Cotidiano, Matérias, Reitoria

Na continuação da série de matérias sobre o Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) do IFSC, o Link Digital apresenta o capítulo 2 do plano, que traz o Projeto Pedagógico Institucional (PPI) do Instituto Federal.

pdi_divulgação documento-05O Projeto Pedagógico Institucional, como seu próprio texto diz, “manifesta o ideal de educação”, “registra o processo de construção da identidade institucional” e “dá suporte para a avaliação das ações educativas programadas pela instituição”. O PPI é uma parte obrigatória do PDI, conforme o Decreto 5.773/2006.

No PPI, estão contidas as visões do IFSC sobre temas como educação, educação profissional e tecnológica, ensino, currículo, avaliação, pesquisa e extensão, entre outros. Sendo um documento mais filosófico, ele estabelece diretrizes e, em alguns casos (como no ensino, na pesquisa e na extensão), políticas que a instituição deve estabelecer.

De acordo com o texto, o Instituto Federal deve proporcionar uma educação integral aos seus alunos, “sem limitar-se ao trabalho manual ou intelectual da atividade produtiva”. A inclusão social, presente na missão do IFSC, aparece em todo o PPI.

De acordo com o documento, o ensino da instituição tem como objetivos, além da aprendizagem, da formação e da educação de cidadãos, a inclusão social, entendida como: escolarização, inserção laboral resgate de direitos, inserção nas práticas sociais, avanço científico e tecnológico, inserção nas práticas sociais, avanço científico e tecnológico, inserção de práticas culturais e esportivas com direito à acessibilidade.

As avaliações feitas pelos professores, de acordo com o PPI devem ser instrumento “de construção coletiva dos sujeitos e de uma escola de qualidade”, e não de classificação, seleção e exclusão social. Os mecanismos de ingresso em cursos também devem ter como preocupação a inclusão, sendo diferenciados para diferentes públicos.

Entre ensino, pesquisa e extensão

O princípio da indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão dentro do IFSC é reforçado no PPI, que estabelece diretrizes e políticas para as três áreas No documento, a extensão é compreendida como conjunto de atividades que promove a articulação dos saberes científicos e tecnológicos com a realidade socioeconômica e cultural da região onde está inserido. Para a diretora de Extensão, Fabiana Mortimer Amaral, o fato de a área, ainda incipiente no IFSC, ganhar destaque no PPI já é um grande ganho. “Isso com certeza traz mais visibilidade para a extensão.”

A pesquisa do IFSC deve ser pautada na transformação da realidade local e na redução da desigualdade social, buscando soluções práticas e inovadoras para o dia a dia das empresas, da comunidade ou da sociedade na qual o IFSC está inserido. A consolidação da pesquisa no IFSC, segundo o PPI, está pautada principalmente no fortalecimento dos grupos de pesquisa, na estruturação dos cursos de pós-graduação e no estímulo às atividades de pesquisa aplicada e de transferência tecnológica.

O pró-reitor de Pesquisa, Pós-graduação e Inovação, Mario de Noronha Neto, avalia que um dos principais avanços que o PPI trouxe para a área de pesquisa foi a descrição de diretrizes e políticas a serem seguidas. “Conseguimos institucionalizar essas políticas e diretrizes em um texto construído coletivamente, que reflete o pensamento da instituição.”

Outros temas

O PPI vai além do ensino, da pesquisa e da extensão e trata de temas como gestão, políticas institucionais (como as de inclusão, de tecnologia da informação, de segurança da informação e de comunicação) e relação da instituição com os egressos. Saiba mais sobre o PPI lendo o capítulo 2 do PDI.

Conheça outros capítulos do PDI

Capítulo 1

Tags:

Faça um comentário!