Artigo: Violência contra as Mulheres em tempos de pandemia

15. maio 2020 | Escrito por | Categoria: Coronavírus, Matérias, SIASS

Ania Tamilis da Silva Witt
Assistente Social – SIASS IFSC
ania@ifsc.edu.br
A violência contra as mulheres é um tema recorrente em tempos de pandemia. No Brasil, foi registrado aumento no número de denúncias no canal Disque 180, que trata especificamente de violência doméstica, assim como aumento nos casos de feminicídio. Este tipo de agressão ocorre muitas vezes de forma invisível e silenciosa, por se dar na esfera privada e doméstica. A situação de violência se agrava, principalmente, por conta da restrição de serviços e de movimentação pelas medidas tomadas na quarentena, pela possível diminuição de renda, e pela própria convivência diária e ininterrupta com o agressor.
Se você sofre algum tipo de violência doméstica, ou conhece alguma mulher vítima de violência física, psicológica, moral, sexual ou patrimonial, saiba que existe uma rede de proteção que pode ajudar neste momento tão difícil.

Alguns serviços:

Disque 180
Funciona 24 horas por dia, todos os dias da semana, e pode ser acionado de qualquer parte do Brasil. É possível registrar denúncias, inclusive anônimas, e obter informações sobre os direitos das mulheres e dissemina informações sobre a rede de atendimento e acolhimento. As denúncias são encaminhadas para os órgãos competentes, e após realizam o monitoramento da situação e amparo à vítima.

Aplicativo Proteja Brasil
Canal de denúncias do Disque 100 e Disque 180, é possível registrar denúncias, obter informações sobre legislação de amparo e localizar serviços de apoio.

Delegacias Especializadas de Atendimento à Mulher

São unidades especializadas da Polícia Civil para atendimento às mulheres em situação de violência. Realizam ações de prevenção, apuração, investigação e enquadramento legal. Sugestões do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos para criar um Plano de Segurança para mulheres que estão em situações de violência:
1.    Crie um lugar seguro na casa, onde possa ir, de preferência com acesso à janela ou porta;
2.    Faça cópias e tire fotografias de documentos que considere importantes, e compartilhe com uma pessoa de confiança;
3.    Prepare uma mala de segurança, com roupas suas e de crianças, inclua na mala também receitas de medicamentos e cópia dos documentos;
4.    Apague mensagens enviadas de seu celular (whatsapp, sms, e-mail);
5.    Tente acessar celular ou computador que a pessoa agressora não tenha acesso;
6.    Tenha a mão números de apoio, salve no celular número de pessoas de confiança, familiares, vizinhos, Disque 180, para acessar em caso de necessidade;
7.    Você não está sozinha, existe uma rede de apoio pronta para lhe atender.

Estamos aqui para te apoiar também.

Fonte: Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos; Agência Brasil.

Tags: , ,

Faça um comentário!